Para todos os gostos


FOTOS: DIVULGAÇÃO

Óleo sobre tela da série “O Executivo de Siron Franco” (1), Santuário dos Profetas (2) de Emeric Marcier, Espaço-Reflexo I (3) de Yutaka Toyota, acrílica sobre tela (4) de André Pereira e a obra “Ao Quadrado” (5), homenagem póstuma a Pedro Augusto



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


Como é bom quando acontecem leilões de qualidade, recheados de propostas e artistas conceituados. Há duas semanas, “Papéis em Alta”, na Casa Palácio de Leilões, foi sem dúvida uma excepcional oportunidade com gravuras, desenhos, aquarelas, nanquins e grafites, dedicada a colecionadores emergentes e de porte mediano. Amanhã, na Errol Flynn Galeria de Arte, é vez das propostas de diferentes suportes, inclusos objetos e esculturas, e da galeria-casa de leilões da Rua Alagoas, num conjunto bem cuidado e selecionado. Na capa e no correr do martelo, excepcional óleo sobre tela de Siron Franco, da série “Executivo”.

Entre os best-sellers, proposta sobre cartão do vanguardista maior dos anos 60, Artur Barrio, mini-painel em óleo sobre tela de um dos darlings do movimento primitivista mineiro, José Luiz, seguidos de Mulher e Flores de Nello Nuno, “Mendigo”, xilogravura de Oswald Goeldi, escultura em madeira de José Bento e desenho da série Vênus de Milton Dacosta.
Na seqüência dos destaques e destacados: Casario, óleo sobre madeira de Fang, Torre elaborado em ferro e solda por Marcos Coelho Benjamin e óleos sobre telas de Chanina e Sérgio Telles respectivamente Palhaço e Mulher e Basílica de Saint Germain de Prés, esta última vizinha do nosso apartamento parisiense da Rue de Seine...
Por fim, “Patinete”, de Ricardo Ferrari, “Flores” em serigrafias - três propostas - de Cândido Portinari, Paisagem de Bustamante Sá, Relevo Silhueta em madeira de Paulo Laender.
Entre raridades ou preciosidades, se preferem, Rubem Valentim, Inimá de Paulo e Enrico Bianco, sem se esquecer de excepcional Emeric Marcier (Profetas de Congonhas), paisagem surrealizante que foge de tudo que o artista criou.
Dois vernissages programados para amanhã, terça: “Anúncios” de André Pereira, no BDMG Cultural, e “40 Anos Depois”, na Galeria de Arte Copasa, respectivamente, de 20 às 22 horas e de 19 e 22 horas. O primeiro, André Pereira, propõe a necessidade do artista de trabalhar a inseparabilidade e distinção entre os sistemas de produção e reprodução da arte.
As telas a serem expostas produzidas a partir do material recolhido em revistas (incluso Art News) e catálogos diversos, possuem como conceito comum o uso do sistema da arte contemporânea como tema na produção de imagens pictórias e, dessa forma, levantam questões ligadas à autoria e a originalidade neste campo. O perigo é quando resvala para o pastiche...não se sabe se consciente ou inconsciente.
Graduado em arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília e professor da Universidade Católica de Minas Gerais, André Pereira, através de “Anúncios” brinca de deslocamentos e quase que pastiches sem cair no lugar comum... Por sua vez, também amanhã a Galeria de Arte Copasa, sem cair na retrospectiva, destaca mostras de todos os gêneros e suportes em níveis dos mais variados. Há de tudo um pouco do excepcional-experimental até o tradicional.Não chega a ser um recorte das grandes produções, no entanto, não deixa a data passar em brancas nuvens.
Inaugurada no sábado, no Centro Cultural do Jambreiro em Nova Lima, a coletiva “Ao Quadrado”, em homenagem ao professor e artista Pedro Augusto, reúne o grupo que ele idealizou e que nesta exposição o homenageia. Juntamente com a também professora e artista Cláudia Renault, há mais de três anos o grupo se dedica a a projetos coletivos e individuais. Enfim, compartilham pesquisas sobre a arte contemporânea, organizam ações, intervenções e exposições. Grupo formado pelos artistas Chico Baumecker, Eline Luckás, Jeane Terra, Maria Helena Lira, Mônica Mendes, Rafael Soares, Suzana Cançado, Tereza Muzzi e Yolanda Misk.
Os trabalhos são inéditos e tratam de temas universais como ausência, falta, perda, com poesia e delicadeza, usando diversas linguagens. Lá, também em display propostas inéditas que Pedro Augusto - excepcional desenhista - deixou determinada para ser executada especialmente para esta exposição. Última chamada até o dia 7 de junho, no Centro Cultual do Jambreiro, localizado na rodovia MG030, nº644, Ouro Velho, Nova Lima, de 10 às 17 horas. Recomendamos com entusiasmo e lamentamos grande perda.

Leilão - Visitas hoje, de 10 às 22 horas. Leilão amanhã, na Rua Alagoas, 977, Savassi, com manobristas e seguranças no local a partir de 21 horas.
André Pereira - De 20 às 22 horas, tem vernissage dos seus “Anúncios”, na Galeria do BDMG Cultural (Rua da Bahia, 1600). Até o dia 27.



(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

02.06.2008