O caminho da cerâmica

VISUAIS" Ceramista contemplado pelo projeto Jovem Artista mostra sua técnica a partir de amanhã.


Em primeiro plano esculturas do artista Abreuvalle, da esquerda para direita, oratórios de Edmundo e Edvaldo Costa e pinturas de Yara Tupynambá. Ao fundo obras de Mariza Trancoso, Fátima Santiago, Joyce Brandão e Henrique Piantino.
Foto: Elza Sena

O artista Bruno Amarante é o primeiro nome contemplado pelo projeto Jovem Artista da Universidade Fumec. Ele tem exposição programada para amanhã, às 19 horas, na Galeria de Arte do Tribunal de Contas de Minas Gerais. Amarante apresenta o resultado de trabalho instigante na técnica milenar da cerâmica, traçando sua própria arqueologia.



César Ramero
" Faixa emblemática"
Acrílica sobre Tela
2005


A utilização de determinados minerais, combinados ou simplesmente como são encontrados na natureza, propicia formas que através do calor são transformadas em material resistente e vitrificado. Nesses procedimentos básicos se resume a atividade do ceramista. E é justamente desse processo que surgem as inúmeras vertentes à utilização da cerâmica.
Encontramos, por exemplo, a cerâmica de alta tecnologia, utilizada nas indústrias, em peças de motores, na perfuração de poços de petróleo, em revestimentos e até mesmo nas viagens espaciais. Num outro vértice, vemos as olarias regionais com seus métodos rudimentares, normalmente trabalhados em regime familiar.

Esse trabalho artesanal, passado de geração em geração, caracteriza certas regiões do Brasil, com suas panelas de barro, bonecas e cangaceiros, e se traduz na importância da perpetuação de nossa cultura.
Às artes plásticas, a cerâmica é um excelente veículo, que proporciona ao artista bom leque de caminhos a serem seguidos. Por sua vez, nas esculturas, vê-se a tradução dos sentimentos. Do calor das mãos e fúria da queima à rigidez e insustentável leveza do barro, há força e delicadeza, atração e repulsa.

Bruno Amarante nasceu em Belo Horizonte. Iniciou-se na cerâmica em 1996, em curso oferecido pela Comuna, com Luciana Radicchi, aprendendo e aperfeiçoando suas técnicas, de queima em forno a gás, raku, esmaltes, argilas e construção das peças. Em julho de 2002, mudou-se para a Inglaterra, onde trabalhou na comunidade Camphill Village com adultos portadores de necessidades especiais. Desenvolveu trabalhos individuais e coletivos com os alunos, objetivando o aperfeiçoamento de técnicas e a criatividade. Além disso, participou de curso sobre elaboração e aplicação de esmaltes com Jim Hobison e David White, em Holmfirth, norte da Inglaterra, em 2003.

A mostra e o catálogo são uma promoção da Universidade Fumec e da C-Art Projetos Culturais.
Por sua vez, a Agnus Dei Galeria de Arte estará exibindo, até a Semana Santa, seu acervo com obras dos principais nomes da arte mineira e de outros Estados, na sua maioria exclusivos da galeria. Entre eles estão Mário Zavagli, Lorenzato, Yara Tupynambá, Décio Noviello, Mariza Trancoso, César Romero, Atílio Colnago, Marisa Innecco, Joyce Brandão, Ricardo Gomes e George Hardy.
Além de todos os trabalhos que a galeria vem mostrando no decorrer dos seus cinco anos de atuação no mercado da arte, este ano são apresentadas algumas novidades, como o desenho do artista Mário Zavagli, feito em 1985 e premiado em vários salões nacionais. Há muitas outras raridades ou best-sellers, se preferem.

Por falar em Cesar Romero, o que há de mais recente de sua produção será visto no Espaço Cultural da Sofitel em Costa do Sauípe, na Bahia. É a nova série Alma & Cor, pinturas que também estão no acervo da Agnus Dei, da qual Romero é exclusivo em Minas.
Para abril, a Agnus Dei anuncia coletiva de pesos-pesados da pintura contemporânea: Fernando Pacheco, Décio Noviello, Beatriz Abi-Acl, Marcelo A.B., Miguel Gontijo, Laís Sobral e Lenora Weissmann, inaugurando o calendário 2005.

Bruno Amarante _ Vernissage amanhã, na galeria do Tribunal de Contas (Avenida Raja Gabaglia, 13l5). De segunda a sexta, de 10 às 18 horas. Coletiva Agnus _ Exposição do acervo, na Rua Santa Catarina, 1155, Lourdes. De segunda a sexta, de 9 às 18 horas, e aos sábados, de 10 às 14 horas. Até o dia 31.


Morgan da Motta
07.03.2005