Experimento e inspiração

FOTOS: DANIELA MOSER/TELLA/CEMIG

EXEMPLOS DA CRIAÇÃO: “Transversais” (1), desenho de Daniela Moser; acrílica sobre tela (2) de Yolanda Misk, e proposta (3) de Fátima Pena


Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Mostra individual de Daniela Moser, com vernissage para convidados amanhã (terça feira), na Galeria BDMG, os três últimos dias da exposição de Yolanda Misk (última chamada: segunda, terça e quarta feira.A propósito, amanhã a partir das 19 horas debate da artista com o público a ser mediado pela curadora Cláudia Renault) e individual de Fátima Pena, na Galeria Cemig; são os destaques maiores em termos de Artes na semana.
O BDMG Cultural, na seqüência do programa Mostras BDMG 2006, promove a partir de amanhã sua primeira atração do segundo semestre: a individual de Daniela Moser, “Transversais”, que investiga o papel carbono através de sua mais recente proposta experimental.
“Transversais” resulta numa investigação sensitiva do carbono, utilizado com a possibilidade de linguagem de desenhos abstratos. O papel-carbono contribui para transferir, ao universo poético, a forte presença matérica e gestual. Além disso, o trabalho é desenvolvido a partir da apropriação de impressos dos quais são utilizados como matrizes o papel milimetrado, papel quadriculado, o estêncil e outros.
Transferências, cópias, transposição de várias linhas verticais e horizontais, feitas sucessivamente, criam um repertório de arranjos, interferências, combinações e sistemas de desenhos.
O agrupamento de papéis semicolados, através da colagem, e outros elementos aglutinantes o conceito e a nova estética renovam-se de proposta para uma outra criação, sem se desligar por completo de um elo: o papel-carbono.
Hoje, amanhã e quarta são os últimos dias pra se ver a mostra individual de Yolanda Misk, na Tella Galeria de Arte e Design. Yolanda trafega hoje por pinturas sobre tecidos estampados. Trata-se do resgate de um tecido saturado, de que a artista obtém uma pintura original.
Ela Representa duas fases distintas de sua mais recente pesquisa, através de três telas em megaformato e seis de pequeno porte, em todas discutindo os meios de lidar com sobras de provas de estamparia versus novas pesquisas e teclogias, em nível de arte contemporânea.
Também em cartaz está a exposição de pinturas recentes da mineira Fátima Pena, nascida em Teófilo Otoni, dublê de professora da Fundação Escola Guignard e artista multimídia. Ela apresenta série de pinturas com figuras de tamanhos e cores vairados, que apresentam verdadeiros retratos do cotidiano e da paisagem urbana que pairam nos limites do expressionismo e, às vezes, de acordo com a estética do realismo.
Fátima é graduada em Jornalismo e Filosofia, além de ter feito vários cursos e freqüentado inúmeros ateliês livres de arte, inclusive sob orientação de Amilcar de Castro. Ela oferece 12 propostas em sua maioria elaboradas no decorrer do primeiro semestre deste ano, permitindo uma da obra ao longo de 25 anos.
Um detalhe: o catálogo, com texto do poeta e crítico Márcio Sampaio, resulta num dos mais belos exemplares gráficos entre todos os produzidos no decorrer dos últimos anos pela Galeria Cemig.

Daniela Moser - Vernissage amanhã, de 20 às 22 horas, na Galeria do BDMG. Visitas de 10 às 18 horas, exceto aos sábados e domingos. Até o dia 28. Yolanda Misk - Na Tela Galeria de Arte e desing (Rua Pernambuco, 453), de 9 às 19 horas. Até quarta-feira. Fátima Pena - Na Galeria Cemig (Avenida Barbacena, 1200), diariamente, de 8 às 19 horas, exceto aos domingos. Até o dia 20.

(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte. Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br)

03.07.2006