Retrospectiva 2009

Resumo dos destaques do ano passado




FOTOS: DIVULGAÇÃO/FREDERICO HAIKAL


1 - Detalhe da exposição de obras de Auguste Rodin na Casa Fiat de Cultura, um dos destaques de 2009 na capital

2 - Vik Muniz visita sua mostra no Museu de Arte Inimá; ao fundo, auto-retrato do artista de prestígio internacional




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


Hoje, como ocorre todos os anos, através de Artes Visuais - Retrospectiva 2009, o realce merecido nos destaques maiores em termos de arte contemporânea e das Artes Visuais. Enfim, são exposições coletivas e individuais, mostras locais nacionais e internacionais e, por fim, as perspectivas em nível de 2010.

Sem dúvida, duas coletivas e duas individuais marcaram o calendário: exposições de aquarelas, técnica milenar, de Beatriz Abi-Acl e de José Alberto Nemer, respectivamente na Galeria Agnus Dei e na Galeria Quadrum. Por sua vez, a Coletiva Resumo HOJE, no Museu Inimá de Paula e Grandes Esculturas no Parque, a primeira, com nossa curadoria e seus módulos distinto Talentos Emergentes, Personalidade do Ano e O Universo do Colecionador. segunda sob curadoria de Yara Tupinambá, que fica em cartaz até o dia 31 de janeiro no Parque Municipal.

Em função do Ano da França no Brasil, Auguste Rodin & Chagall na Casa Fiat de Cultura e Corbusier no Palácio das Artes deram um toque internacional a Belo Horizonte, bem como Tapeçarias Gobelins no programa paralelo do Museu Artes e Ofícios. Pelo Ano da França duas excepcionais mostras realizadas na Pinacoteca do Estado de São Paulo, Fernando Léger e Coleção Renault no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC USP) que, em função dos altos custos de seguros não permitiu vinda a Belo Horizonte, obrigou artistas, colecionadores e estudantes de nossas escolas de artes visuais visitarem ambas em São Paulo.Tais mostras e mais Vik Muniz no Museu de Arte Inimá e no MASP de São Paulo conferiram um nível internacional infelizmente, pouco visto em nossa BH desde Camille Claudel há alguns anos passados no Museu de Arte da Pampulha que comemorou 50 anos da transformação do antigo Casino em Museu. La, praticamente uma coletiva de obras premiadas do acervo do MAP salvaram a data.

Os leilões realizados pelas galerias e casas de leilões Palácio dos Leilões, Vitor Braga Rugendas e Errol Flynn, altamente qualificados, acabaram com aquela fama e ranço que na maioria das vezes, nossos leilões apresentavam "refugos" de leilões do eixo Rio-São Paulo. De vez acabaram com tal fama.


Perdas culturais

No primeiro semestre faleceram Ruy Santanta, Sérgio de Paula e Manoel Augusto Serpa de Andrade, artistas contemporâneos sendo os dois últimos nome de peso da vanguarda dos anos 60-70 de Minas e do Brasil. No segundo semestre a artista plástica Maria Amélia Guimarães, Petrônio Bax e Alécio Cunha, referência maior em jornalismo cultural nas Minas Gerais nos últimos 20 anos. Sugerem-se uma grande mostra homenageando todos eles em 2010. Fica aí a sugestão das homenagens mais que justas. Finalmente, com as perspectivas das inaugurações do Corredor Cultural da Praça da Liberdade e do Espaço Cultural V & M do Brasil, iniciativas do Governo Estadual Mineiro através da Secretaria Estadual de Cultura e da Mannesmann correspondem aos ganhos culturais do novo ano.

Com relação o Resumo HOJE, que vai atingir a 43a, edição sob nossa curadoria, ao contrário dos anos anteriores sempre divulgados no último dia do ano, dia 31 de dezembro, considerando que estaremos de férias e escrevendo apenas através de nossa home page: www.morganmotta.com, entre 15 de janeiro e 16 de fevereiro, vamos divulgar mais adiante depois de reflexão e variações. Afinal, pretendemos realizá-lo até o de numero quarenta e cinco. Quem sabe? Em um novo formato: um vídeo com todos os participantes e suas propostas que terá lançamento num auditório de um dos nossos museus e, durante 1 mês, sempre exibidos aos sábados e domingos e encerrando com um debate com artistas, críticos e curadores.Nada de transporte, nada de seguros e ter de correr atrás de patrocínios cada vez mais difíceis. Afinal, das primeiras realizadas na Grande Galeria da Reitoria, depois no Palácio das Artes, no Museu Mineiro e na Galeria da Biblioteca Pública da Rua da Bahia, sem esquecer que um dos eventos, foi no Museu de Arte da Pampulha. Seria interessante realizar a 45a. edição coincidindo com os 70 anos de vida que vamos completar daqui há dois anos e 46 anos de jornalismo.Sabia? Formamos na primeira turma do Curso de Jornalismo da Fafich da UFMG, em 1964. "How time flies" (leia-se como o tempo voa...), no entanto, pretendemos continuar a fazer nossas curadorias do Resumo HOJE e do Tridimensional na Arte Contemporânea, por sinal, a edição número 16ª, a de 2010 considerando que no ano passado deixamos de realizá-la. Força de vontade e energia é que não faltam.



(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte - Orgão da Unesco.
Home Page: www.morganmotta.com
E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br


04.01.2010