Três artistas e três visões


FOTOS: DIVULGAÇÃO/FRANCISCO MILTON/DIVULGAÇÃO

Tronco de Mulher Alada de Maia Borkowski (1), "Congado", do fotógrafo Francisco Milton que tem vernissage amanhã (2) e (3) “Nus Masculinos”, de Glauco numa foto de Farid Au



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

"Minas é uma Festa", mostra individual do fotógrafo Francisco Milton, que será inaugurada, amanhã, no Centro Cultural do Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães, dá sequência ao projeto Cultura Mineira, da série "Viver Arte", em parceria com a Câmara Americana de Comércio (Amcham). A impactante exposição reúne fotos coloridas e em preto-e-branco e seu foco principal é o povo mineiro, que o conceituado fotógrafo, viajando por diversas regiões do Estado, há seis anos retrata as mais diversificadas cenas populares.
O conjunto registra cenas que revelam a fé e alegria em todas as suas formas. São vestimentas diferenciadas, instrumentos de percussão, montanhas, santos, plumas, colares e bandeirolas dando o tom da exposição, composta por vários painéis.
Francisco Milton assim escreve: «essa é uma oportunidade de apresentar parte de um valioso trabalho que integra o projeto de lançamento de um livro, em conjunto com o jornalista e escritor Olavo Romano». E acrescenta: "É difícil encontrar espaços com adequada estrutura de apoio para a arte e cultura. As empresas deviam fazer mais isso".
"Viver Arte", do Centro Cultural do Hospital de Olhos Dr. Ricardo Guimarães, tem como objetivo principal despertar a atenção das pessoas para a importância da qualidade visual.

"Minas é uma Festa". Mostra individual de Francisco Miltonm. Vernissage para convidados amanhã. Em cartaz até 27 de março, no Hospital dos Olhos Dr. Ricardo Guimarães (Rua da Paisagem, 220, Vila da Serra, atrás do Biocor). Visitas de segunda à sexta, das 8 as 20 horas, e aos sábados, das 8 às 12h30s.


Individual de Maia Borkowski

A escultora Maia Borkowski abriu mostra individual na Galeria Paulo Campos Guimarães da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. A artista, que tem uma trajetória prolífica, trafrega pelo Tridimensional há quase cinco décadas. Suas propostas - leia-se esculturas e objetos - são na sua maioria de fonte figurativa, recorrentes à arte noveau e decó. Algumas peças são elaboradas de argila e outras de bronze. A mostra tem sabor de uma mini-retrospectiva, já que apresenta diferentes técnicas e tendências.
O arquiteto urbanista e crítico de arte Paulo José Stroch registra: "Maia é uma apaixonadada pela figura humana. Consegue fazer os metais se moverem com formas anatômicas, numa ampla gama de gestos e posições. Raciocina em três dimensões, nesta difícil arte de representar a matéria. Existe uma nítida oposição entre os materiais com os quais projeta seus trabalhos, mas que ganham unidade, quando suas mãos os aproximamm. O bronze e a ágata, o liso e o irregular, o elaborado e o rústico, revelam um culto que a artista mantém com a haromina sinuosa e o sensual do ideal quase sempre feminino".

Exposição de Maia Borkowski. Em cartaz na galeria de Arte Paulo Campos Guimarães (Praça da Liberdade, 21) até o dia 15 de fevereiro. Visitas de segunda a sexta de 8 às 21 horas, aos sábados de 8 às 12 horas.


Nesta edição do projeto Domingo Cultural do Porcão, Glauco Moraes apresenta o que há de mais recente de sua produção na mostra "Sétimo Véu". A mostra reúne "Nus Masculinos Dissimulados", originados dos rabiscos e croquis do artista batizado de Diário Secreto. Em seu trabalho artístico, a figura é o seu mote principal, no entanto, trafega pelo expressionismo, passando pelo geometrismo. E às vezes - não se sabe se consciente ou inconscietemente - alcança o surrealismo e até o cubismo.
O cotidiano desse dublê de artista plástico, professor de artes visuais e curador da galeria Casa dos Contos é dinâmico. Desenha e pinta pela manhã, leciona à tarde e à noite e ainda encontra tempo para planejar exposições de seus alunos no seu ATelier e, ainda coordena o calendário de exposições do Porcão.
O Domingo Cultural do Porcão é mais um espaço alternativo que conjunga artes visuais com música.

Glauco Moraes. Espaço cultural do Porcão (Av. Raja Gabaglia, 2985). Em cartaz até o dia 3 de março. Visitas da hora do almoço até o último comensal de segunda a segunda.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

05.02.2007