3 x arte


FOTOS: DIVULÇÃO

1 - Fotografias experimentais de André Buriam
2 - Mosaicos segundo Cândida Machado
3 - Sítios arqueológicos de Marcelo A.B.



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Os destaques maiores da semana são André Burian, que está em cartaz na Galeria do Espaço Cultural Cemig, com fotografias experimentais, e também o artista plástico Marcelo A.B. e Cândido Machado, em cartaz, respectivamente, a partir de hoje e na quarta-feira, nas galerias Casa dos Contos e do BDMG Cultural.
A Galeria do Espaço Cultural Cemig apresenta individual do pintor e fotógrafo André Burian, que serviu para abrir seu calendário 2007. Sob o título “Um Outro Eu”, a exposição com fotografias de Burian foram criadas a partir de 2000.
Com uma técnica peculiar, baseada na experimentação, Burian elabora propostas nas quais a economia de linha e do uso da cor podem ser visualizados ao primeiro contato. Os ambientes são os mais variados: pessoas, praia, cidade, objeto, paisagem. Trata-se de uma mostra diferente, de “fotografia imaginária” e não documental.
Atualmente, Burian contabiliza mais de 5 mil imagens em película 35 mm. Esse vasto material possibilitou o contrato com a agência norte-americana de fotojornalismo Corbis. A partir daí, o trabalho dele foi exportado para 11 países, com quase 500 imagens editadas em diferentes suportes.

Marcelo AB
Sob a curadoria de Glauco Moraes, Marcelo AB apresenta série inédita, a partir das 20 horas de hoje, na Galeria Casa dos Contos. É um desdobramento de sua individual realizada no ano passado, na Agnus Dei Galeria, da série “Sítios Arqueológicos”. São 16 propostas inéditas e de porte pequeno, acrílicas sobre papel fabriano no formato 48 x 57 cm cada.
Sítios arqueológicos, o mundo pictórico atual do artista, começaram a ser descobertos há 35 anos. A paisagem tem seu pano de fundo como criação natural, sendo o homem, personagem principal de seu cenário. Da superfície desse cenário surgiram os fósseis, de várias formas e maneiras, formando sua obra, através de fragmentos radiografados, identificados, enumerados e medidos, formando assim sítios reanimados com novas formas de vida. Espaços estanques através de um ou vários fios condutores alcançam resultados até certo ponto hiper-realistas recorrentes ao início de sua carreira.

Mosaicos
O artista Cândido A. Machado traz o que há de mais recente de sua produção Mosaicos, até o dia 30, na galeria de arte do BDMG Cultural. São 30 mosaicos do autor mineiro, retratando suas obras mais recentes. Trafegando predominantemente por temas religiosos, Cândido se baseia na tradicional expressão da iconografia mineira. O artista de Aiuruoca, interior de Minas, foi convidado para inaugurar o calendário das Mostras 2007, por suas relevantes contribuições à cultura do estado nos últimos 40 anos.
Fascinado pela técnica desde o início de sua carreira, no entanto, só veio a dedicar-se ao mosaico após estudá-lo profundamente. Jota D’Ângelo, presidente do BDMG Cultural, assim se expressou pelo artista no catálogo: “Os mosaicos criados por Cândido são únicos, sendo impossível recriar as formas utilizadas em um motivo”. A crítica de arte Celma de Faria Alvim também destaca o elevado nível técnico e artístico do artista escolhido para inaugurar o calendário daquele espaço cultural.

Individual de André Burian. Em cartaz até o dia 21, na Galeria Cemig, à Avenida Barbacena, 1200, no Santo Agostinho. Visitas das 8 às 19 horas. Entrada franca.
Individual de Marcelo. A partir das 20 horas de hoje, na Galeria Casa dos Contos, Rua Rio Grande do Norte, 1056. Exposição de Mosaicos de Cândido Machado. Em cartaz na Galeria BDMG Cultural. Rua da Bahia. 1600, Lourdes, até o dia 30. Visitas de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas. Entrada franca.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

05.03.2007