Força Jovem

Em cartaz: Acrílica sobre tela de Leonora Weissmann, da série “Interiores" (foto LW)

Aos 21 anos, Leonora Weissmann faz sua segunda exposição individual, com um currículo recheado de coletivas (incluindo seu lançamento através de nosso Resumo HOJE, na Grande Galeria do Palácio das Artes).
Mesmo sendo filha de dois conceituados artistas _ Selma Weissmann e Manoel Augusto Serpa _, Leonora parece não se intimidar, ao partir para um estilo muito próprio _ aliás, desde 1988, quando tinha apenas seis anos, e participou do II Salão do Candidato, promoção da Fundação Escola Guignard.
Autodidata no início da carreira, sob supervisão dos pais, ela estudou com reconhecidos nomes da arte contemporânea mineira e brasileira, casos de Mário Zavagli, Paulo Laender, Marcelo Kraiser e Paulo Whitaker. Em 2000, passou a estudar na escola de Belas Artes na UFMG; em 2001, foi aprovada para o PID (Projeto de Iniciação à Docência) e, desde então, é monitora nas disciplinas Perspectivas e Desenho II. Este ano, foi monitora do Curso de Design da Fumec.
Leonora define seu trabalho, em cartaz no BDMG-Cultural, como “pinturas-objeto, desenhos e caixas que delimitam uma paisagem como espaço físico e pictórico. Além disso, ela trafega pelos auto-retratos, frutos e pedras, sendo que, com relação as pedras apropriadas, se utiliza de um processo de transfer"; um tipo de impressão sobre peças achadas ao acaso.
Nesta série, “Interiores", saltam aos olhos as camadas espessas de tinta acrílica, ou então, pinceladas largas, essencialmente expressionistas, comprovando que domina muito bem os diferentes suportes eleitos por ela.
Outra atração nas galerias é “O Tesouro dos Mapas - A Cartografia na Formação do Brasil", a partir de 19 horas de amanhã, na Grande Galeria do Palácio das Artes. São aproximadamente 220 obras, que cobrem o período do século XV ao século XX, demonstrando a importância técnica e artística dos caminhos que levam à formação do território nacional.
Atração imperdível é a milenar ciência de compor cartas geográficas, lembrada com o acervo da coleção do Banco de Santos e, por extensão, do presidente da entidade, o senhor Edemar Cid Ferreira. Ao que parece, depois de presidir a Bienal de São Paulo e organizar megamostras espetaculosas, ele opta por colecionar peças, entre plantas, mapas e paisagens de cidades que, no frigir dos ovos, representam a expansão territorial e a história do Brasil. Sem dúvida, uma situação sui-generis, em nível de colecionismo...
Fechando o leque das melhores opções da semana, para comemorar três décadas de atividades artísticas, Thalma de Oliveira reúne o melhor de sua produção, no período correspondente aos três últimos anos, a fim de sintetizar toda sua trajetória.
Filha de Sálvio de Oliveira, pioneiro em termos de galerias comerciais e leilões em Belo Horizonte, ela é casada com o desenhista e chargista Lor, ou Luiz Oswaldo Carneiro Rodrigues.
Participando ativamente como artista e professora de arte, e integrada ao movimento cultural contemporâneo, Thalma vem trabalhando, orientada por critérios estéticos que privilegiam a beleza, a clareza temática e o rigor técnico e estético. Sob o título “Promessa de Vôo", ela apresenta pinturas e objetos, tendo a pena como referencial primeiro e único.
Ao contrário dos que celebram várias décadas de atividades artísticas, em vez de realizar uma mostra com sabor de retrospectiva, ela prefere o hoje e o amanhã, em termos de criatividade. O conjunto de pinturas e objetos traduz claramente uma proposta artística própria, com identidade definida, que se apoia na experiência, no trabalho permanente e nos conhecimentos adquiridos em bases sólidas.
É possível apreciar com profundidade suas propostas de artista multimídia, que trafega por técnicas diferenciadas e tendências originais, em nível do tridimensional e, antes de tudo, nas aquarelas.

Leonora Weissmann _ Na Galeria BDMG Cultural (Rua da Bahia, 1600), de segunda a sexta, de 10 às 18 horas. Até o dia 21. “O Tesouro dos Mapas _ A Cartografia da Formação do Brasil" _ Na Grande Galeria do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1537). De amanhã a sábado, de 12 às 21 horas, e aos domingos, de 17 às 21 horas. Thalma de Oliveira - Na Galeria Mari'Stela Tristão, a partir de 20 horas desta sexta-feira, no Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1537, Centro). Visitas de 12 às 21 horas, de terça a sábado, e aos domingos, de 17 às 21 horas.

Morgan da Motta
12.05.2003