Usicultura

Usicultura - Vista espacial do conglomerado dedicado à arte contemporânea (FOTO SÉRGIO ROBERTO)

IPATINGA (MG) _ O Instituto Cultural Usiminas, o Usicultura, abriga a coletiva “10 X Minas", na Galeria Hideo Kobayashi. A mostra abre o calendário das comemorações do 10º aniversário de fundação do Usicultura, um marco em termos de artes visuais, teatro e ópera.
Amilcar de Castro, Celso Renato, Guilherme Machado, Lygia Clark, Manfredo Souzanetto, Marcos Coelho Benjamin, Maria Martins, Raymundo collares, Rivane Neueschaander e Rosângela Rennó são os artistas que tiveram suas obras selecionadas à mostra. Alguns, como Lygia Clark, Amilcar de Castro e Maria Martins, têm prestígio internacional; outros, como Guilherme Marchado e Rivane Neueschwander, despontam como importantes representantes da nova geração.
O curador e produtor da mostra, o marchand Léo Bahia, esclarece que “10 X Minas" não deve ser considerada como painel definitivo da produção de Minas. “A seleção desses artistas não pretende criar uma classificação dos dez melhores, mas montar, em único conjunto, um cenário amplo e histórico das diversas tendências desenvolvidas no Estado, com seus antagonismos e pontos de contato".
De fato, sem a presença dos pioneiros do concreto e neo-concreto, como Franz Weissmann e Mary Vieira, a história e o painel ficariam incompletos.
A exposição é composta de esculturas, pinturas, desenhos, objetos e fotografias. Algumas dessas obras nunca foram expostas em Minas Gerais; outras, há décadas não saem de coleções particulares e acervos de museus e galerias de arte. A propósito, uma é inédita: a última obra de Raymundo Collares, sem título, produzida pelo artista montes-clarense, falecido precocemente.
Com a reunião dessas obras, o objetivo da Usicultura visa, antes de tudo, possibilitar ao público o contato com variada geração de artistas representantes de diversos movimentos artísticos ocorridos nos últimos anos, do surrealismo de Maria Martins, passando pelo concretismo, neoconcretismo, minimalismo e novas mídias, como, por exemplo, propostas de Rosangela Rennó, Guilherme Machado e Rivane.
Um detalhe: o destaque maior fica para ícones incontestes como Maria Martins e Lygia Clark, mineiras que desenvolveram seus trabalhos longe do ambiente cultural de Minas, principalmente no eixo Rio-São Paulo e no exterior.
Amilcar de Castro e Celso Renato de Lima, ex-alunos de Franz Weissmann, são considerados por alguns estudiosos como fundadores da arte contemporânea em Minas.
Raymundo Colares representa a produção artística mineira dos anos 70, mesmo caso de Marcos Benjamim e Manfredo Souzanetto, que tiveram suas obras geradas sob o impacto provocado pelas tendências da época, vanguarda dos anos 70 ou neo-vanguarda, como insistem alguns historiadores da arte contemporânea mineira.
O Instituto Cultural Usiminas criou o Centro de Cultura em 1998, com projeto sui generis, por estar integrado a um shopping center, como âncora. Instalado em terreno de 23 mil metros quadrados, e com área construída de 5,6 mil metros quadrados, o espaço recebeu investimento superior a R$ 11 milhões à sua construção.
Em 1998, foi concluída a primeira etapa ou módulo do projeto, com a inauguração da Galeria de Arte Hideo Kovbaayashi, sendo entregues também as áreas destinadas ao foyer da galeria e do teatro e do jardim de inverno.
A galeria possui 800 metros quadrados e capacidade para receber mil pessoas, e está sendo reformada para receber exposições de padrão internacional. Ano passado, recebeu, entre outras, a última exposição de Amilcar de Castro.
Em outubro de 2002, ficou pronta a segunda etapa do projeto, com a inauguração do teatro do Centro Cultural Usiminas - espaço com 724 lugares, dotado da mais sofisticada infra-estrutura, que consumiu investimentos de R$ 7 milhões.
O local recebeu espetáculos de destaque, como a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, e peças com elencos comandados por Jorge Dória e Paulo Autran, que foi atração neste fim de semana. A ópera “La Boehme" será cartaz da semana que vem.
Sem dúvida, é estimulante ver um conglomerado funcional, com programação de nível e, principalmente, contribuindo para levar o que há de mais representativo em termos de música, teatro, artes visuais e balé.

10 X Minas _ No Centro Cultural Usiminas, no Shopping Vale do Aço, em Ipatinga (MG). Outras informações pelo telefone (31) 38-222215. Até 12 de julho.

Morgan da Motta
02.06.2003