Resumo abrangente

PANORÂMICA com a instalação de Marcus Amaral em primeiro plano (1), pinturas de Laís Sobral (2) e escultura interativa de Priscila Gonçalves (3) - (Fotos Renato Cobucci)

A mais nova edição do Resumo HOJE será aberta amanhã para o público. Antes, hoje, às 20 horas, na Grande Galeria do Espaço Cultural Telemar, há vernissage para convidados.
Recorte importante da arte contemporânea mineira e brasileira, a promoção celebra este ano o 15º aniversário de fundação do HOJE EM DIA, promotor em parceria com a Telemar, com apoio do Ministério da Cultura (Minc), RM Sistemas, Zigma Importação e Exportação, Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e Belotur.


A tradicional mostra está dividida em três módulos distintos: “Talentos Emergentes" (“Artistas Convidados"), “O Universo do Colecionador" e “Exposições do Ano". O objetivo é dar realce àqueles que mais se destacaram nas artes plásticas no ano passado.
Logo à entrada, à direita e à esquerda, no módulo “Exposição do Ano", se apresenta a Sala Especial de Décio Noviello, com pinturas e instalação escolhidas de suas mostras realizadas no Itaú Cultural e Espaço Cultural da PUC (Pontifícia Universidade Católica). São alegorias em pinturas de porte monumental e uma instalação que registra toda a trajetória do artista, em matérias publicadas em jornais, catálogos, depoimentos etc.
Logo adiante, também à esquerda da Grande Galeria, está o módulo II, “O Universo do Colecionador", com trabalhos da coleção da museóloga e colecionadora Conceição Piló.
Por sua vez, ocupando todo o centro da Grande Galeria, está o módulo “Talentos Emergentes", composto de artistas convidados da nova geração. Saltam aos olhos a instalação de Marcus Amaral, engenheiro e ex-aluno da Escola de Belas Artes da Universidade Federal. Ele apresenta bacias sobrepostas, recheadas de fragmentos de bonecos, tanto dentro das bacias como suspensos no teto.

Amaral trafega pelos objetos e pequenas figuras humanas fragmentadas, uma tendência presente em mostras internacionais, caso da Dokumenta de Kassel e da Bienal de Veneza. Sobre dois painéis, lado a lado, ele apresenta pinturas-objetos tridimensionados, como lâminas e alumínios, experimentando os limites do objeto box-form e da pintura geométrica.
Por sua vez, Priscila Gonçalves Viana, adolescente premiada na Tate Modern de Londres, no concurso da Unilever aberto a adolescentes de todo o mundo, oferece sua proposta “Deitar e Sonhar", em que sugere aos visitantes deitar sobre uma planta baixa de material emborrachado; em seguida, o espectador abre os olhos e observa a instalação confeccionada em papéis verde e amarelo, cujas aparas são complementadas com pregos.
Trata-se da mesma instalação premiada e exibida em Londres. E Priscila propõe: “Será que teremos com que sonhar? Espero que ainda sim. Quando os pregos tocam um no outro, produzem sons que lembram berço, carinho, afago de mãe" _ diz a jovem premiada. E acrescenta: “Teremos ou seremos criaturas de banco de sêmen? Clones? Sonhamos...".
Finalmente, os painéis de Laís Sobral e Erik Fontes, ambos alunos da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, onde ela estuda e ele faz mestrado, encerram a mostra. Laís, com suas mega-pinturas em técnica mista, usa e abusa de pinturas e colagens, com os títulos da esquerda para a direita, conforme a montagem: “Revista de Sábado", “Torre Vermelha", “Pequenos Classificados", “Passaporte Londrino" e “Muro de Berlim".
Erik Fontes, em sua montagem-instalação “Prateleira", utiliza-se de látex e arame sobre chapa metálica e desenho montado em papelão, explicitando suas mais recentes pesquisas e experimentações.

Acervo reúne pinturas e esculturas

O Módulo III, “O Universo do Colecionador", reúne obras de vários artistas do acervo da gravadora e museóloga Conceição Piló. São pinturas e esculturas, um excepcional recorte do acervo da gravadora, museóloga, artista plástica e ex-diretora do Museu de Arte da Pampulha, Conceição Piló.
Em nível de esculturas, principalmente populares, há nomes como Valentim Rosa, Maurino, Geraldo Telles de Olivera (G.T.O.), Ananias, Francisco de Fátima e outros expoentes da escultura mineira e brasileira.
Com relação às pinturas, estão desde o retrato da colecionadora, elaborado por Inimá de Paula, passando por Wilde Lacerda, Mário Silésio, Fausto Alvim, Chanina, o argentino Pietranera e, encerrando, com Burle Marx, pinturas em técnica mista da homenageada e Tomie Ohtake.
Por questões de segurança, ficaram de fora desenhos de Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti, pinturas de Guignard, Portinari, Volpi e Rego Monteiro. Também a grande coleção de esculturas do Vale do Jequitinhonha, por sua fragilidade e pelo fato de estar em display, não pôde ser exposta. O altar barroco com crucifixos e imagens, por suas dimensões, peso, e acima de tudo, alto custo de seguro, ficam para outra ocasião.
Nas edições anteriores, foram exibidas as coleções de Regina e Delcyr da Costa, Rachel Cohen (viúva de Roberto Cohen), casal Celma-Renan Alvim, dos solteiros Paulo da Terra Caldeira e Marcus Vieira, do casal Iris-Eduardo Janot Pacheco Lopes e outros.
Conceição Piló afirma que é importante dividir com os outros uma coleção como o seu excepcional acervo. Para ela, não há razão para que as obras fiquem restritas às paredes do seu mega-apartamento. Sempre que solicitada, ela tem o maior prazer de ceder o acervo para mostras nacionais e estrangeiras.
No futuro, Conceição quer abrigar seu acervo numa fundação, apesar de muitas dificuldades. Ela também admite doar algumas peças para museus, ou seja, desde que funcionem dentro das rígidas normas de museografia e museologia. São raros os museus fora do eixo Rio-São Paulo que têm reservas técnicas razoáveis para acolher as obras, que na maioria das vezes são exibidas ou guardadas de forma improvisada. Eis aí as razões para que muitos desistam de doarem preciosidades, por saberem que a maioria de nossas instituições lida com seus acervos de maneira improvisada e, na maioria das vezes, nada profissional.

Resumo HOJE - “O Universo do Colecionador" - Obras do acervo da museóloga e colecionadora Conceição Piló. Visitas das 8 às 20 horas, de segunda a segunda, na Grande Galeria da Telemar (Avenida Afonso Pena, 4.001, Mangabeiras). Até 30 de novembro.

Resumo HOJE _ A partir de amanhã, diariamente, de oito às 20 horas, na Grande Galeria do Espaço Cultural Telemar (Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras). Até o dia 30. Leia mais na página 7.

Morgan da Motta
05.11.2003