Resumo em realce

Tradicional exposição reúne trabalhos de jovens e consagrados artistas, a partir de quarta-feira em Belo Horizonte (Foto / Toninho Almada)

A edição deste ano do “Resumo HOJE" será aberta nesta quarta-feira para o público belo-horizontino (antes, amanhã, para convidados, haverá vernissage, de 18 às 20h30), na galeria e jardins do Museu Mineiro. Recorte importante da arte contemporânea mineira e brasileira, esta é uma promoção do HOJE EM DIA em parceria com o Museu Mineiro (órgão da Secretaria Estadual da Cultura) e apoio de RM Sistemas e Zigma Importação e Exportação. O objetivo é dar realce àqueles que mais se destacaram nas artes plásticas no ano passado.
Mais uma vez, a tradicional mostra está dividida em três módulos distintos: “Artistas Convidados _ Talentos Emergentes", “O Universo do Colecionador" e “Exposição do Ano".
Logo na entrada, à esquerda, no módulo “O Universo do Colecionador", destacam-se os portais do casal-colecionador Cristiane e Ramaya Vallias.

Na seqüência estão esculturas, pinturas e desenhos do acervo do casal, além de megaesculturas colocadas em display nos jardins. À direita, estão pinturas dos artistas Miguel Gontijo e Fernando Pacheco. No centro da Grande Galeria e nas paredes laterais, vêm, intercaladas, as propostas dos artistas convidados.
O módulo “Talentos Emergentes" inicia-se com os objetos de Thula Kawasaki, graduada ano passado em Desenho, pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais. Ela faz pós-graduação na Pontifícia Universidade Católica. Seus objetos e instalações são significativos em termos de arte minimalista.

Na seqüência está Angela Geo, que depois de trafegar por pintura, desenho e escultura, fixa-se em desenhos e objetos em papel e nanquim, transformados em instalações sobre base de um cubo de madeira, com os mesmos signos e símbolos repetidos nas seis faces.

Em seguida vêm as pinturas expressionistas de Raphael Baptista de Oliveira, recorrentes às criações de seu tio Mário Silésio e ao italiano Morandi.

Logo na entrada, à esquerda, antes do módulo “Universo do Colecionador", se destacam as fotografias de Dante Borges, aluno da Pontifícia Universidade Católica que trafega pelo experimental, mas sem recorrer a soluções virtuais ultimamente tão comuns.

Ao fundo estão monumentais pinturas acrílicas de Tiago Santos, ex-grafiteiro das ruas e aluno da Fundação Escola Guignard. Ele é exemplo daquela velha história do garoto rebelde da periferia, que vai da arte pop ao hip-hop. Santos é grande revelação do Projeto Arena da Cultura, nas oficinas comandadas pelo artista plástico Rui Santana, que a cada edição anuncia valores egressos da periferia da capital.

A “Exposição do Ano" é de Severino Iabá, por suas apropriações nos parques da Mangabeira e Municipal, pelo Projeto Manifesto das Flores, realizado com seus alunos de escolas de Betim e Contagem, e agora acrescido de alunos da Escola Estadual Afonso Pena, que fica praticamente ao lado do Museu Mineiro. Lá, amanhã, de 13 às 16 horas, numa escala menor, Iabá vai repetir tudo que fez no ano passado em nossos parques.
Aliás, nesta cidade em que exposições conceituais normalmente não têm consistência, Severino Iabá continua em alta com seus ambiciosos projetos, realizados com poucos recursos. Desde a Semana de Arte de Vanguarda, realizada com a inauguração do Palácio das Artes, em 1971, não se vê nada tão atraente em nível de apropriações e arte conceitual.
Felizmente, o material relativo ao Manifesto das Flores tem registro em vídeos e fotos que estarão à mostra no “Resumo HOJE".

“Resumo" realça o “Universo do Colecionador"

Um dos destaques da mostra “Resumo HOJE", o módulo 'O Universo do Colecionador" reúne obras de conceituados artistas modernistas e contemporâneos mineiros e brasileiros. Este anos, apresentamos o acervo do casal de colecionadores Cristiane e Ramaya Vallias.

Em nível de esculturas, os destaques maiores são, nos jardins: 'Rinocerante' de Sonia Ebling, 'Indio e Sereia' criados por Amancius, 'Raizes', escultura de resíduos industriais de Leandro Gabriel e 'Mulher Olhando o Luar, também de Sonia Ebling. Todas elas foram elaboradas em bronze.

Na Grande Galeria - recinto interno -, estão duas esculturas de porte médio de Maurino, mais duas de José Pedroso, criador da maioria das esculturas nos jardins do Museu da Pampulha. Do mesmo autor, há desenhos, praticamente protótipos de suas esculturas modernistas.
Também em termos de desenhos, temos dois monumentais desenhos de Artur Barrio e um ouito de Fernando Cardoso.
Além desses, se destacam várias pinturas de Fernando Pacheco, André Burian, Emanuel Nasser, de Cabelo, Leo Brizola, Miguel Gontijo; o objeto em aço de Jorge dos Anjos; o óleo sobre tela do colecionador Ramaya Vallias, releitura de 'Mulher com Chapéu' de Picasso. Em aço inox, brilha a escultura de porte médio de Fátima Santiago, e também se destaca a escultura em ferro de Amancius.
Ainda com relação às pinturas, estarão à mostra os retratos dos colecionadores Cristiane e Ramaya Vallias, elaborados por Luiz Henrique Vieira, na linha pop-art, com influências de Andy Warhol.
Por obra do alto custo do seguro, ficam de fora pinturas de Tarsila do Amaral, Volpi, Iberê Camargo e até um desenho de Portinari.
Nas edições anteriores, foram exibidas as coleções de Regina e Delcyr da Costa, sra. Rachel Cohen (viuva de Roberto Cohen), do casal Celma-Renam Alvim, de Iris e Eduardo Janot Pacheco, bem como dos colecionadores solteiros Conceição Piló, Paulo da Terra Caldeira e Marcus Vieira.

No catálogo, na condição de curador, assim escrevemos: “O Resumo visa, antes de tudo, dar realce merecido àqueles que mais se destacaram nas artes plásticas no ano passado, individual ou coletivamente. Além do 'Universo do Colecionador' (casal Ramaya Vallias) e da 'Exposição do Ano', de Severino Iabá, eis os artistas convidados ('Talentos Emergentes'), com suas pinturas, seus desenhos, seus objetos, fotografias e instalações, tudo relacionado com uma vertente significativa da arte contemporânea, em suas relações com a arte tornada internacional a partir dos Estados Unidos e da Europa. Sem dúvida, um recorte significativo da arte contemporânea mineira e, por extensão, brasileira".

Resumo HOJE _ Mostra coletiva. Promoção HOJE EM DIA. Curadoria de Morgan da Motta. Apoio Zigma Importação e Exportação, RM Sistemas e Museu Mineiro. Vernissage amanhã, às 18h30, para convidados. Aberta ao público a partir desta quarta-feira, no Museu Mineiro (Avenida João Pinheiro, 342, Centro). A exposição pode ser visitada pelo público até o dia 19 de dezembro.


Fotos: Toninho Almada

Morgan da Motta
15.11.2004