Viagem no tempo

1 - Óleo sobre tela de Chanina (Divulgação)
2 - Mulheres de Ismael Nery (Fernando Silveira)
3 - Óleo de Alexandre Rapoport (Divulgação)


Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Sandra & Márcio, a antiquária e o galerista, apresentam obras de séculos passados em dois diferentes endereços: na Matriz, propostas em papel do século XX. Por sua vez, no Banco BNP-Paribas, na Savassi, uma seleção do século XVIII. Atualmente, a arte brasileira do século XX, e principalmente do século XVIII, está ficando cada dia mais inacessível. Daí, ambas coletivas oferecem um sucinto recorte recheado de propostas que pairam nos limites das raridades-preciosidades.
Em parceria com Alice Gonzaga Carsalade, nos diferentes espaços do BNP-Paribas, estão preciosidades tais como conjunto de sete quadros em têmpera sobre cambraia de linho, do final do século XVIII, provenientes de uma fazenda na região de Cláudio Minas Gerais. São considerados um dos mais importantes conjuntos de pintura anônima do Brasil, no período colonial. Anteriormente, foi exposto no Salão de Arte e Antiguidades de São Paulo, bem como no Gabinete do Governador Aécio Neves, na Expominas, durante o encontro do BID.
No elenco, estão ainda cômoda originária da Coleção Walter Couto, elegante exemplar do mobiliário barroco de 1735-1765. Também da região de São João Del-Rey, 1770-1785, cômoda de policromia em trompe-l’oeil, semelhante a marchetaria com puxadores em ferro. Na sequência, tocheiros domésticos mineiros com restos de policromia, do século XIX e, em jacarandá, modelo «rolo de fumo».
Na coleção de tapetes, os destaques maiores são um tapete caucasiano, exemplar shirvan, de 1900, e tapete Odegard, representados no Brasil por Sandra e Márcio.
Quanto às pinturas, destaque para um Aníbal Mattos, «Paisagem», que lhe rendeu medalha de ouro e Prêmio de Viagem à Europa, no Salão Nacional de Belas Artes de 1930. Aníbal Mattos foi um dos pioneiros do modernismo nas Gerais e pai do conceituado artista plástico e professor Haroldo Mattos. Finalizando a exposição, mesa D. Maria I, do século XVIII.
Voltando às pinturas, «Paisagem», do contemporâneo Sérgio Fingermann e «Abstração», de Giovanna Martins, também contemporânea e ex-aluna de Amílcar de Castro.
Por sua vez, na Matriz, no Sion estão elencados desenhos e gravuras, propostas sobre papel de ícones do modernismo brasileiro: Portinari, Pancetti, Ismael Nery e Tarsila do Amaral, do acervo da Pinakotheke de São Paulo. Foram selecionadas pelo consultor e curador Max Perlingeiro que, paralelamente, fez palestra sobre a importância de colecionar obras sobre papel. A seleção de raridades salta aos olhos. Lamenta-se que fotografias não façam parte do conjunto em exibição.

Última chamada

A junção de duas individuais de Chanina e de Alexandre Rapoport registram um marco especial na Galeria Errol Flynn: ambos comemoram 60 anos de pintura profissional, fato raro e tarefa quase que impossível, em termos de Latina América e principalmente do Brasil.
Rapoport, tanto nos seus desenhos e pinturas como em suas figuras ligeiramente barrocas, saltam aos olhos influências de um Bruegel ou então de Bosch. Um conjunto irrepreensível com sabor de retrospectiva.
Quanto ao nosso Chanina, ex-aluno de Guignard, dublê de oftalmologista e artista plástico, lá estão todas as suas fases que faz parte do acervo do marchand Errol Flynn. São propostas de diferentes fases e variadas técnicas, mas que causa um certo embaralhamento, que em vez de ressaltar o que há de mais importante na trajetória do artista, por vezes, confunde técnicas e temáticas interferindo numa leitura mais linear.

“Raridades dos séculos XIII e XX”. No BNP-Paribas (Rua Antonio Albuquerque, nº 271, 15º andar). Até o mês de agosto, no horário comercial. Sugere-se agendar visita pelo telefone fone (31) 3287-1600.

“Desenhos e gravuras do século XX”. Portinari, Tarsila, Pancetti e Ismael Nery. Matriz (Rua Passatempo, nº 477, no Sion)

“Os 60 anos de Rapoport e Chanina”. Somente até sexta feira, à Rua Alagoas, nº 977, das 10 às 19 horas.

(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte. Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br)

17.07.2006