Liberdade de expressão

1- Óleo e acrílica sobre tela de Márcio Santos
(Foto: MS)
2- Instalação com vergalhão tratado, de Daniel Marquez
(Foto: Espaço A)
3- Conjunto de cerâmicas de Erli Fantini
(Foto: Miguel AUN)



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

A primeira mostra individual de Daniel Marquez tem vernissage na terça-feira, no espaço cultural recentemente inaugurado, que faz parte do conglomerado Alphorria. No catálogo, assim nos expressamos sobre o artista e sua obra: Daniel Vilela Marquez, artisticamente Daniel Marquez, trafegando pelo tridimensional, inaugura individual no Espaço Cultural Alphoria. Ex-aluno de design da Fundação Mineira de Arte (Uemg), a partir do desenho bem qualificado elabora o que há de mais recente de toda sua produção em nível de esculturas, objetos e instalações. Sua mídia preferida são os vergalhões, através do quais explora torsões, construções incluindo elementos de arquitetura desconstrutivista. Sem dúvida, um talento jovem que, pelas suas experimentações, alcança resultados que pairam nos tênues limites de influências minimalistas e construtivistas. Enfim, saltam aos olhos os elementos espacialidade versus visualidade.
Sob o título "Pura Visualidade", Márcio Santos inaugura individual na Sala Celso Renato de Lima no Centro Cultural da UFMG, amanhã, a partir de 19 horas. Trata-se de exposição recheada em sua maioria de pinturas acrílicas sobre tela. No entanto, o visitante detém-se numa única instalação situada no hall do Centro. Trata-se de pintura rasgada-seccionada, costurada e amarrada que, pelo processo "work in progress", propõe uma intervenção ritualista-conceitualista que permite até certo ponto uma interação entre o artista, a proposta e o público ávido por praticar interação.
Márcio Rodrigo dos Santos, profissionalmente Márcio Santos, se estabeleceu de vez entre os pintores contemporâneos das Minas Gerais, desde quando o seu "batismo de fogo", na galeria Marcus Vieira, que regularmente privilegia a escultura. Este é o momento mais representativo da fonte geométrica construtivista deste artista que frequentou o Atliê Livre da Fundação Escola Guignard (UEMG). São, na sua maioria, propostas monumentais e inéditas que segundo o expositor: "A intenção maior desta individual é mexer com a percepção das pessoas ao visualizar suas obras. Por fim, ele esclarece que "a arte para mim significa um amadurecimento, uma evolução, uma ascensão de um plano imaginário tornando real minha liberdade de expressão. Daí, denominamos ’Pura Visualidade".
Inaugurada no fim de semana no Centro Cultural da Fiemg, em Ouro Preto, a mostra itinerante "Cidades", de Erli Fantini, resulta numa individual com sabor de retrospectiva. Afinal, apresenta o resultado de muitos anos de experiência dentro de sua carreira, cuja ênfase na pesquisa de formas e matéria é destaque para a queima da cerâmica, fruto de atenção especial nos últimos anos.
Ela trabalha com forno a lenha, uma técnica que dá resultados inusitados. A chama do fogo e o acaso passam a ser parceiros no resultado final.
Nesta mostra, Erli Fantini, mais conhecida como a primeira dama da cerâmica brasileira, apresenta construções, torres, pontes, fábricas e moradias. Tudo isso é mostrado de uma forma que nos convida a usar a imaginação e visitar uma cidade imaginária, uma cidade aberta, habitada por seres inventados.
A mostra itinerante iniciada em Ouro Preto e em seguida para Belo Horizonte (outubro, na Galeria Lemos de Sá), em 2007 vai para Ipatinga e São Paulo.
Erli nasceu em Sabará, em 1944, e é graduada pela Escola de Belas Artes da UFMG. Fez curso de escultura, desenho e papel artesanal. Foi professora da escola onde se graduou e da Fundação Escola Guignard. Participou de diversos salões e foi premiada no Salão de Arte Contemporânea do Pará, em 1994.

DANIEL MARQUEZ - A partir de quarta-feira. De segunda a sexta-feira, de 14 às 22 horas; aos sábados, de 10 às 14 horas. No Espaço A (Rua Platina, 271, Prado). Até 6 de outubro.
MÁRCIO SANTOS - Pinturas. Vernissage a partir de 19 horas de amanhã, no Centro Cultural UFMG (Avenida Santos Dumont, 174, Centro). De segunda a sexta-feira, de 10 às 22 horas. Até 19 de outubro.
ERLI FANTINI - No Centro Cultural e Turístico do Sistema Fiemg (Praça Tiradentes, 4, Ouro Preto - MG), diariamente, de 9 às 18 horas. Até 18 de outubro.

(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

18.09.2006