Desafio tridimensional

01. Eixos-Mandalas de Graça Pires
02. Instalação de Maria Amélia Guimarães

03. Figuras fragmentadas de Tiago Fazito em primeiro plano (Centro Cultural Usiminas)

Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


A exposição “Tridimensional na Arte Contemporânea", no Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga, começa na quinta-feira, reunindo dezesseis artistas radicados em Minas Gerais, representados por 100 obras em que são utilizados materiais _ desde vergalhões, têxteis, resíduos industriais, madeira e chapas de ferro.

São artistas das gerações intermediária, nova e novíssima: Fabrício Fernandino, Fátima Santiago, George Hardy, Gilberto Lustosa, Graça Pires, Leandro Gabriel, Maria Amélia, Mirian Scofield, Paulo Coelho, Regina da Costa, Ricardo Carvão Levy, Thula Kawasaki, Tiago Fazito, Valdelice Neves, Valéria Delfin e Walter Navarro, todos eles desafiando a linha divisória entre os conceitos de objeto, escultura e instalação.


Instalação.
Projeto João Gongo de Valdelice Neves
Foto: Loyva Reis


Na sexta-feira, haverá debate com a participação dos críticos paulistas Lisbeth Rebolo Gonçalves (presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte, professora da Eca da USP e ex-diretora do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo), a crítica de arte e atual diretora do MAC-USP, Elza Ajzenberg, o jornalista, escritor e crítico de arte Carlos Soulié do Amaral e o diretor de Relações Institucionais do MAC-USP, Paulo Roberto do Amaral Barbosa.
Em Belo Horizonte, a partir de amanhã, na Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães (da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa), Beth Lyrio oferece sua primeira mostra individual na capital, depois de vários estágios nos Estados Unidos.

Sob o título “Multiplicidades", as várias faces da artista serão apresentadas em primeira mão, através de três módulos distintos. São duas instalações, ou bordados apropriados das mais variadas peças de cama e mesa que são recortados e costurados de modo a provocar ao mesmo tempo relevos e tridimensionalidade.
Além disso, Beth expõe 13 objetos contemporâneos de formatos pequeno, médio e grande, conjugando rendas e bordados, e quatro pinturas de porte médio, recorrentes aos neoconcretos norte-americanos.
São técnicas diferentes, tendências - do objeto, passando pela instalação e até atingir as pinturas atuais -, sem se desligar de suas fases anteriores. Enfim, um desdobramento coerente, depois de muitos estudos, estágios e experimentações do que alguns vêem como processo artesanal de apropriação; no entanto, são apropriações em nível da arte contemporânea ou novas mídias.

Na terceira mostra de destaque, a coletiva denominada “Corpo-Icono-Grafias", quatro artistas discutem a questão do corpo - sua fragmentação, as formas que o definem e nossa percepção diante da sua imagem.
Camille Kachani instiga e seduz o espectador, deixando evidente que a arte é ilusão e mistério. Mas, em vez de ocultar essa magia, a torna explícita. Cristina Salgado afirma que seu “trabalho de escultura, é, na verdade, menos escultura que imagem; entendo que essa afirmação é um tanto provocadora".
O mesmo pode ser dito com relação a seus desenhos e pinturas. Mara Martins trafega pelo pop íntimo, doméstico, periférico, transformado, e ao mesmo tempo inconformado. Victor Arruda trabalha na pintura com um sentido de fragmentação da imagem, com sensibilidade repleta de erotismo e precisão.

" Tridimensional na Arte Contemporânea " _ No Centro Cultural Usiminas (Galeria Hideo Kobayashi, Avenida Pedro Linhares Gomes, 3900, Ipatinga-MG), a partir de quinta-feira. Visitas de terça a sábado, de 10 às 22 horas, e domingo, de 12 às 20 horas. Debate com professores da USP e críticos de arte convidados, na sexta, de 10 às 12 horas. Entrada franca. Até 31 de julho.

" Multiplicidade " _ Mostra de Beth Lyrio. Na Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa (Praça da Liberdade, 21, Praça da Liberdade). Vernissage amanhã, de 19 às 22 horas. Visitas de 8 às 18 horas, de segunda a sexta, e aos sábados, de 8 às 12 horas. Até o dia 30.

"Corpo-Icono-Grafias" _ Mostra coletiva na Galeria Murilo de Castro (Rua Benvinda de Carvalho, 60, Santo Antônio), de segunda a sexta, de 10 às 20 horas, e aos sábados, de 10 às 14 horas. Até 12 de julho.

(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte. Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br)

20.06.2005