Corpos e cores


FOTOS: DIVULGAÇÃO/VB-AI

Pinturas de Ângelo Issa, Leopardo, e Vânia, ao preparar uma de suas esculturas


Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


São dois vernissages no decorrer desta semana. De quebra, mostras em cartaz inauguradas na semana passada. A primeira, programada para à noite de hoje, às 20 horas, na Galeria do Minas Tênis II, vai ser a da escultora Vânia Braga. Por sua vez, o vernissage de amanhã, terça-feira, programado para às 19h30, é do pintor Ângelo Issa, na Galeria Contemplo. Um detalhe: tanto a escultora como o pintor nasceram em Pedro Leopoldo, sendo que ambos vivem e criam na cidade há vários anos.

Pintora no início da carreira, com sua individual a ser inaugurada hoje, Vânia Braga troca os pincéis pelo tridimensional (leia-se esculturas). Vânia, antes de optar pelas esculturas, teve sua formação como artista visual, quando começou ainda adolescente a receber aulas de seu pai, o saudoso pintor Alberto Braga.
Os primeiros estudos foram acadêmicos com influências do pai e do mestre maior do academicismo Edgar Walter.
Enfim, depois de uma passagem pelo abstracionismo, ela optou pela escultura figurativa e contemporânea, tendo como base inicial o desenho bem elaborado.
atualmente, Vânia trafega pelas esculturas em bronze e mármore, oscilando-variando entre felinos e figuras humanas, na maioria das vezes recorrentes a uma Sônia Ebling, nome maior da escultura figurativa no Brasil. Enfim, impõe-se pela habilidade em aliar pelo gesto a matéria-prima (mármores e bronzes). Além disso, através do processo de cortes desenvolvido por ela, saltam aos olhos os chanfrados, muito eloqüentes e interessantes.
A exposição “Movimentos”, que reúne propostas recentes em nível de esculturas de Vânia Braga, pode ser visitada a partir das 20 horas de hoje, na Galeria do Minas Tênis II, à Avenida Bandeirantes, 2323, onde fica em cartaz até o dia 28 de outubro. Visitas diariamente, no horário comercial.
Há muito tempo Ângelo Issa dedica-se à pintura e só recentemente resolveu tornar pública sua produção mais recente. inicialmente, reuniu na galeria da Vallourec Mannesmann, situada na Avenida do Minério, suas últimas crias.
O artista que teve sua formação artística na Alemanha, quando por lá morou, se inspira em temas que são universais, mas, no entanto, eventualmente retrata o folclore de sua terra natal, Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
No geral, seus trabalhos expressionistas brotam dentro de uma pintura e arrojada.
A idéia da individual a ser inaugurada amanhã não é apenas apresentar propostas recentes e pouco conhecidas. Ao contrário visa, antes de tudo, realçar um recorte essencialmente recorrente ao expressionismo alemão.
Do catálogo constam apresentações do professor e artista Miguel Gontijo e do seu pai, o escritor J. Issa Filho, que esclarece que desde a infância ele surpreendia professores e pais com seus desenhos e pinturas. Sem dúvida, uma síntese de toda sua trajetória.
As pinturas recentes de Ângelo Issa ficam em cartaz a partir de amanhã e até o dia 11 de outubro, na Contemplo Galeria de Arte.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte - Orgão da Unesco.
Home Page: www.morganmotta.com
E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br


22.09.2008