A volta de Benjamim


FOTOS: DANIEL COURY/DIVULGAÇÃO-PL
JOÃO VIRMONDES/REPRODUÇÃO


DESTAQUES: Marcos Coelho Benjamim (1) no ateliê; “Mulatas no Bordel” (2), de Di Cavalcanti, e fotografia (3) de João Virmondes




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Será inaugurada amanhã, na galeria da Escola Guignard-Uemg, mostra individual do artista plástico mineiro Marcos Coelho Benjamim - finalmente de volta às galerias, depois de longo recesso. Intitulada “Clínica Geral”, a exposição visa, antes de tudo, mostrar grande variedade de trabalhos e técnicas, como desenhos, pinturas, objetos e esculturas. O artista estará autografando, antes do vernissage, livro sobre sua carreira e trajetória, editado pela C/Arte.
Dono de extensa produção em nível de escultura e objetos, Benjamim é oriundo daquele notável núcleo de desenhistas mineiros dos anos 70: José Ronaldo Lima, Manoel Augusto Serapa Andrade, Madú, Sérgio de Paula...
Se surpreende pelos desenhos, deixa a desejar em função das formas repetitivas, as quais explora à exaustão por quase quatro décadas (Leia-se principalmente aquelas similares a raladores de queijos).
Mudando de conversa, o Palácio dos Leilões, assim como uma prévia dos leilões que sempre antecipam o Natal, promete Grande Leilão a partir de 20h30 de hoje, em sua sede no Bairro de Lourdes. Das obras em display, saltam aos olhos, dentre outros trabalhos: Mulatas de Di Cavalcanti, em pintura e na mesma técnica de Inimá de Paula, Orlando Teruz, Antonio Maia, Carlos Bracher, Jarbas Juarez, Maria Helena Andrés, Heitor Prazeres, Nello Nuno, Manoel Santiago, Haroldo Mattos, Herculano e Sérgio Telles.
Por sua vez, em termos de esculturas: Bruno Giorgi, Amílcar de Castro, Carlos Araújo e G.T.O... Finalmente, desenhos de Maria Helena Andrés, Chanina, Franz Weissmann - um verdadeiro estudo em azul para escultura -, o escultor que surpreende com excepcional desenho, bem como aquarelas de Chanina, Antônio Gomide, Petrônio Bax e em sangüínea de Alberto da Veiga Guignard. Gravura em metal de Lívio Abramo e serigrafia de Iberê Camargo estão entre os destaques da noite.
Todo o conjunto Di Cavalcanti que está na capa, passando pelo Guignard que está na página 11 do catálogo e Teruz, que ilustra a contracapa, são dignos de coleções de verdade, ou então, acervos de museus. Por que coleções de verdade? porque em Minas, à exceção das coleções de Delcyr da Costa, Paulo da Terra Caldeira e Tadeu Bandeira, as demais dos colecionadores mineiros não passam de núcleos que dentro de alguns anos poderão ser rotulados de coleções de fato.
Última chamada: a exposição coletiva “Fronteiras”, que reúne fotografias de artistas que vivem e criam em Uberlândia, mas que vieram de outras regiões, podem ser vistas até a próxima sexta-feira, na Galeria de Artes do Sesc.
Os trabalhos foram concebidos a partir do tema proposto - Fronteira - para comemorar os 119 anos da cidade de Uberlândia. O resultado reflete a diversidade de olhares e poéticas. Por meio da fotografia, os artistas discutem não só o “olhar estrangeiro”. A cidade de Uberlândia é cenário para questionamentos sobre tempo e memória, origem e espaço.
“Fronteiras” apresenta propostas dos artistas Adriano Canbas, Aldo Colesanti, Aloísio Diniz, Beatriz Costa, Beatriz Rauscher, João Virmonde, Lu de Laurentiz, Luiz Eduardo Borda, Paola Azevedo, Paulo Augusto, Renato Palumbo e Régis Winckler. A curadoria é de João Virmondes.
O professor Luís Eduardo Borda assim se expressa sobre a mostra: “A exposição que comemora os 119 anos de Uberlândia torna-se uma possibilidade instigante para que 12 artistas discutam a idéia de limite, algo que pode implicar uma questão geográfica quanto existencial, a depender do olhar de cada artista”.

Marcos Coelho Benjamim - Amanhã, a partir de 20 horas, vernissage e lançamento de livro sobre o artista, na galeria da Escola Guignard (Rua Ascânio Burlamaque, 540, Mangabeiras). Antes, palestra de Olívio Tavares de Araújo. De segunda a sexta, de 9 às 21 horas, e aos sábados, de 9 às 12 horas.
Leilão de Primavera - No Palácio dos Leilões (Rua Gonçalves Dias, 1866, Lourdes). Hoje, a partir de 20h30.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

24.09.2007