Luzes sobre o tempo


FOTOS: DIVULGAÇÃO/HM ARTES/CRISTINA MONTHEIRO


PINTURA em técnica mista (1), esculturas-objetos compostas de madeira, pedras e fósseis (2), todas de Chico Ferreira, e escultura (3) de Sônia Toledo




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

O que há de mais recente de toda a produção de Chico Ferreira, “Esculturas do Tempo”, foi o tema escolhido pela marchandise Haydée Mugliga para encerrar o calendário 2007, com curadoria de Celma de Faria Alvim. Nesta individual, Ferreira apresenta obras diferenciadas. Afinal, ele nos abre um leque de experimentações, ou seja; parte das pinturas-colagens, passando pelas “assemblages”, e fecha o círculo com esculturas-objetos de pequeno porte. São obras construídas com sobras de madeira, objetos achados ao acaso e complementados com sisal, corda de embira, pedras variadas e até fósseis.
A crítica de arte Celma de Faria Alvim assim escreveu no catálogo sobre o artista e sua obra: “A presente exposição de Chico Ferreira é a resposta de um homem maduro e de um profissional íntegro aos desafios que a vida lhe impôs. Sobretudo, significa a ampliação de suas fronteiras. É assim que defino a nova pintura do artista, representadas por seus excelentes murais e esculturas e objetos. Este é o espírito que anima os objetos-fragmentos que ora perfilam na Galeria HM Artes, como esculturas do tempo”.
Mudando de galeria, a Mercure Lourdes apresenta conjunto de nove esculturas de Sônia Toledo, que trafega pela escultura figurativa. Graduada pela Escola de Belas Artes da UFMG e pela Escola Guignard (UEMG), atualmente ao lado de Sonia Ebling, gaúcha que viveu por várias décadas em Paris, são dois dos mais conceituados artistas contemporâneos que exploram a figura.
Detalhe sempre presente em todas as suas propostas, na maioria das vezes sua predileção pela figura humana alia-se ao momento corporal, o que sem dúvida enriquece e provoca maior equilíbrio entre a base e a escultura em si. Sônia Toledo, referência em termos de esculturas, é responsável pelo Ateliê Sônia Toledo, no Belvedere, espaço dedicado à formação de artistas plásticos, que oferece cursos variados e palestras sobre modelagem, vitrificação e a escultura em diferentes materiais e suportes.
Outra atração, sob curadoria do artista plástico e professor Mário Zavagli, a galeria do Espaço Cultural Cemig encerra seu calendário 2007 com mostra coletiva de professores da EBA/Ufmg. A exposição centra-se sobre diferentes suportes. Ao todo, são 20 trabalhos privilegiando fotografias, instalação, pintura, objetos, gravura, desenhos e colagens, além de técnicas mistas. Os critérios adotados para a seleção foram a qualidade e a pluralidade dos meios de linguagem adotados pelos expositores. Conforme o curador, Zavagli, os artistas tiveram total liberdade para escolher a técnica e o formato na abordagem do tema.
Enfim, Alan Fontes, Andréa Lanna, Clébio Maduro, Dayse Turrer, Eugênio Paccelli Horta, Giovanna Martins, Leonora Weissmann, Lilisa Maendes, Lincoln Volpini, Mabe Bethônico, Maria do Carmos de Freitas, Maria do Céu Diel, Marcelo Drummond, Marcxelo Kraiser, Patricia França, Roberto Bethônico, Rodrigo Borges, Tânia Araujo, Wlad Poenaru e Wanda Tófani, cada um através de linguagem própria, exaltam a Natividade e a Anunciação.

Chico Ferreira - Na Loja 34, Nível Mezanino do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins). Visitas de 10 às 19 horas, de segunda a sexta e, aos sábados das 10 às 13 horas. Até 14 de janeiro.
Sônia Toledo - na Galeria Mercure (Avenida do Contorno, 7315, Lourdes). Visitas de 8 às 22 horas. Até 2 de janeiro.
“Anunciação” -, das 8 às 19 hjoras, na Galeria de Arte da Cemig, na Avendia Barbacena, 1200, no bairro Santo Agostinho, pode ser visitada até o dia 27.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

24.12.2007