ARTES VISUAIS - MORGAN DA MOTTA(*) - VISUAIS: 25.06.2014

DESTAQUES NO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO

SEM DÚVIDA, o primeiro semestre encerra-se com inusitadas propostas que, de modo geral, nos surpreendem. Daí, na base de "leitura dinâmica" destacamos quem é quem quase que TUDO JUNTO & MISTURADO colocando em realce a personalidade ou a proposta de cada um. INICIALMENTE, DIEGO MENDONÇA, artista contemporâneo que vive e cria em São João Del Rei (pelos 300 anos da Comarca) com a individual Mulheres de Aço e Flores, demonstra antes de tudo, desdobrar coerente e maturidade ainda jovem. Além disso, tais propostas focam as mulheres de per sí pela fragilidade, meiguice e vaidade fazendo contraponto com a professora, bordadeira, costureira e, incluso com a professora de piano. Por sua vez, AURO MAIA DE ANDRADE, JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE SÃO JOÃO DEL REI, sintetiza toda a trajetória do expositor: "A arte de Diego Mendonça é fruto do talento genealógico, mas também e especialmente da primorosa dedicação e abnegada disciplina que, tal qual a combinação das cores de sua pinturas, reluzem a nobreza de seu caráter". Fica em cartaz até meados de julho em São João del Rei.

Diego Mendonça, revelação que trafega pela arte contemporânea de São João del Rei para o mundo

GRI ALVES NA CASA DO BAILE: NOVAS PROPOSTAS X EXPERIMENTAÇÕES. PRECURSORA NO BRASIL da Point Art, a pintura sobre tela feita com linhas de bordar, Gri Alves apresenta na Casa do Baile, na Pampulha, mostra individual sob o título "Concreto e linha fazem a arte". São 15 propostas que, segundo ela, fazem a releitura da obra do arquiteto Oscar Niemeyer retratando os principais marcos do complexo arquitetônico da Pampulha como a Igreja da Pampulha, o Museu de Arte Moderna (antigo Casino), o Iate Tênis clube e a própria Casa do Baile. A exposição tem entrada franca e fica em cartaz até o dia 20 de julho, de terça a domingo, das 9 às 18 horas. Descendente de alemães e italianos, Anglides – GRI – Briel Alves nasceu na cidade de Pérola e há mais de dez anos mora na Pampulha. Suas obras construídas com agulha e linhas sobre telas correram o mundo e já foram mostradas em várias cidades do Brasil e do mundo. Resultado final: "Fiz o uso do ponto cruz, a partir do qual criei nossa técnica, na qual o bordado se confunde com a linha sobre telas" assim sintetiza todas suas pesquisas e propostas. Recomendamos com entusiasmo.

Gri Alves e suas propostas recentes na Casa do Baile

JÁ , JULIO HUBNER, dublê de fotógrafo e artista plástico, é destaque na Galeria Beatriz Abi Acl, em Lourdes. Com sua individual, "VIA PÚBLICA OU MARGINAL – TRAJETOS DA NAÇÃO SEM NOÇÃO, engloba temática política por meio de pinturas essencialmente geométricas. Enfim, símbolos do trânsito x símbolos do poder do Planalto Central nos remetem às rebeliões do ano Pré-Copa de maneira prática, objetiva, direta e crítica, altamente inteligente e por que não dizer: de maneira tão leve a fim de tratar de um momento tão grave... A ser encerrada no fim de semana, sugerimos que seja adiada, no mínimo, até o final da COPA...ESPERO QUE OS PROPRIETÁRIOS DA GALERIA E CURADORES ACATEM NOSSO PEDIDO. Também, recomendamos com muito entusiasmo.

Pintura geométrica de Júlio Hubner

(*)Morgan da Motta é jornalista, cineasta e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da Associação Internacional de Críticos de Arte – AICA – órgão da UNESCO – PARIS.BLOG: www.morganmotta.com e e-mails: mmotta@morganmotta.com e contato@morganmotta.com.