Cláudia e Kelson em destaque

 


FOTOS: DIVULGAÇÃO

1 - "Carta", de Kelson Frost: trabalho em técnica mista sobre painel em que o artista vem demonstrar uma incrível noção de espaço

2 - "Largo das Forras", de Ofélia Torres, em Tiradentes: artista consegue pairar nos limites entre o surreal e o primitivista

3 - Uma das 80 obras do notável Jean Dubuffet, artista francês que ganhou mostra no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo


Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


A junção de duas individuais, de Cláudia Coutinho e Kelson Frost resulta na dupla mostra a ser inaugurada hoje, na Galeria Gustavo Capanema da Assembléia Legislativa, a partir das 20 horas. É o único vernissage em artes plásticas na semana. Por sua vez, na sequência, dicas dos destaques em artes visuais em Belo Horizonte, nas cidades históricas e em São Paulo.

A dupla mostra de Cláudia e Kelson inaugura o calendário do segundo semestre da galeria Gustavo Capanema. Ela é graduada em psicologia, pela PUC e pela Escola Guignard (UEMG), e dedica-se também à literatura , como cronista e contista, com dois livros editados e várias premiações, entre elas o Prêmio Moacyr Andrade. No conjunto, ora em display, chamam a atenção as formas que se impõem ao acaso e, além disso, assinalam sua decisiva reinscrição nas artes visuais. Kelson Frost, mineiro de Governador Valadares, é autodidata em desenho e pintura. No entanto, fez rápida incursão pelo ateliê livre da Escola Guignard, bem como vasta experiência em artes gráficas e até cinema, no período que residiu em São Paulo. Atualmente, através da série "Recorte Precário", apresenta 21 painéis em técnica mista. Saltam aos olhos a incrível noção de espaço e preenchimento, o que não é de se estranhar por suas experiências anteriores em publicidade e cinema. A junção das duas individuais de Cláudia e Kelson fica em cartaz até o dia 14 de agosto, na Galeria Gustavo Capanema da Assembleia Legislativa, à Rua Rodrigues Caldas, 30 - Santo Agostinho. Visitas de segunda a sexta das 8 às 18 horas. Como estamos no período de férias, recomendamos com entusiasmo exposições individuais com sabor de retrospectivas, de Fernando Pacheco, na Casa dos Contos de Ouro Preto, e de Fernando Vignoli, no Museu Inimá em Belo Horizonte. Mais detalhes sobre as duas mostras em nossa home page: www.morganmotta.com. Para aqueles que vão a São Paulo, o destaque maior fica para a mostra retrospectiva de Jean Dubuffet, que faz parte do Ano da França no Brasil, no Instituto Tomie Ohtake. São 80 obras, entre pinturas, desenhos e esculturas, realizadas no período de 1944 a 1984, do artista que começou a pintar com mais de 40 anos de idade e percorreu a trajetória artística alheio às tendências históricas, mas sem ignorá-las. Sem dúvida, sempre inovador, surpreendente e solitário, como Bacon, Giacometti e Freud. Mudando de assunto e voltando às férias: Contraponto, de Alex Gama, na Sala Manoel da Costa Athaide - Anexo I, no Museu Inconfidência de Ouro Preto. Por sua vez, Contemplação e Poesia, de Ofélia Torres, na Fundação Oscar Araripe, em Tiradentes, onde pode ser visitada até o dia primeiro de setembro. As demais, acima indicadas, ficam em cartaz até o dia 31 de julho.



(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte - Orgão da Unesco.
Home Page: www.morganmotta.com
E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br


27.07.2009