Leilão da Primavera


FOTOS: DIVULGAÇÃO/RAFAEL SOARES

“Retrato de Marinela”, de Alberto da Veiga Guignard, “Venus”, de Milton Dacosta e Instalação Conceitual de Cláudia Renault


Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


Na seqüência dos leilões do calendário 2008 e, por extensão, do 35º aniversário de fundação do Palácio dos Leilões, teremos hoje o “Leilão da Primavera”, a partir de 20h30, na sede da entidade no Bairro de Lourdes. Por sua vez, a “Instalação versus Interação”, da artista Cláudia Renault, continua em cartaz na galeria da Escola de Belas Artes da UFMG (campus da Pampulha), como uma das propostas mais instigantes em nível de instalação e arte conceitual.

Sob a curadoria de Luciennne Amantéa Ferreira, tendo como leiloeiro oficial Marco Antonio Ferreira Lopes, teremos hoje, a partir - noite única - de 20h30, o “Leilão da Primavera”. Dos vários lotes a serem apresentados, chamamos atenção do que há de mais interessante (best-sellers), em termos de pinturas, desenhos, gravuras, pastéis, carvão e técnica mista.
Vamos lá: “Retrato de Marinela”, de Alberto da Veiga Guignard, “Mulata” de Emiliano Di Cavalcanti (ilustra capa do catálogo), Enrico Bianco, Inimá de Paula, Chanina, Rubem Valentim, Kasuo Wakabayashi, Siron Franco, Eugenio Sigaud,Manabu Mabe,Fukushima, José Panceti, Anita Malfati e o alemão Werner Reinisch, todos eles com óleos sobre tela à exceção de Bianco que é óleo sobre eucatex.Voltando a Werner Reinisch, ex-ator de sucesso na França e na Alemanha nos anos 50 e 60, desde meados de 60 tornou-se pintor e trabalha em Munique e no sul da França, sendo que pinturas e serigrafias de sua autoria estão em várias coleções de São Paulo e da Argentina, sendo que o mega colecionador mineiro Delcyr Antonio da Costa tem duas pinturas e uma serigrafia de autoria dele.
Com relação aos escultores saltam aos olhos bronze de Bruno Giorgi, mármore de Jorge Leite, escultura em metal de Mário Cravo.
Finalmente, em termos de desenhos, carvão, pastel e técnica mista os destaques maiores são “Bordel”, “Auto-Retrato” e “Mulheres”, de Di Cavalcanti, aquarela de Ismael Nery, nu de Antonio Gomide, femininos de Alfredo Volpi, Pedro Américo, vários desenhos da série arquétipos de Miguel Gontijo, nanquim “Igreja Mineira”, de Guignard, litografia de Antônio Dias e, voltando às pinturas, duas excelentes - preciosidades - de Milton Dacosta. Ainda em termos de carvão de Álvaro Apocalypse e Tarsila do Amaral.
Enfim, uma boa resenha sem correr risco de “encarar” refugos de leilões anteriores que, infelizmente, vira e mexe sempre acontecem.
O “Leilão de Primavera” acontece no Palácio dos Leilões, a partir de 20h30 de hoje, à Rua Gonçalves Dias, 1866, em Lourdes. Manobristas estarão à disposição dos que preferem arrematar “ao vivo”, em vez da internet ou via fone.
E agora, Cláudia Renault. Inaugurada em setembro, a nova mostra da artista é também proposta que faz parte da finalização de mestrado em Artes Visuais a que vem se dedicando há mais de dois anos, sob orientação da professora Maria do Carmo Freitas Veneroso.
Trata-se de trabalho dos maios instigantes. Afinal, na instalação “Lembrar para Esquecer”, ela se utiliza de materiais como virdro, lascas ou fragmentos de madeiras e projeção de vídeo.
Similar a trabalho apresentado anteriormente na Manoel Macedo Galeria de Arte, a atual mais arrojada e arejada, convida o espectador de corpo inteiro frente à obra, bem como numa mais que perfeita interação permite a inserção dentro da obra. Pode-se chamar de delicadamente perigosa esta experiência, enfim, como a experiência de nossa caminhada nesta vida.
Conforme escrevemos, bastante instigante e, ao contrário da maioria do gênero apresentada na cidade, foi elaborada em bases sólidas, sem aqueles apelos fáceis que podem ser classificados como “sacais”.
Vale uma visita lá no Campus da Universidade Federal de Minas Gerais, principalmente como altamente didático e na essência do que de fato é arte conceitual. Recomendamos principalmente aos alunos das primeiras séries da Fundação Escola Guignard da UEMG, bem como da EBA da UFMG.

A Instalação Conceitual de Cláudia Renault pode ser vista até sexta-feira na Galeria da Escola de Belas Artes da UFMG, no Campus da Pampulha, de segunda a sexta-feira, de 9 às 21 horas.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte - Orgão da Unesco.
Home Page: www.morganmotta.com
E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br


29.09.2008