A arte de um único dono

FOTOS: CARLOS RHIENCK/DIVULGAÇÃO-MM

O artista integra-se perfeitamente à obra; paisagem com vitórias-régias e a cantora Amy Winehouse



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


A Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes, abriga exposição inédita de Fernando Pacheco. No mês que antecede o aniversário de 60 anos, ele escolheu o Palácio das Artes para apresentar o que há de mais recente do acervo.

Depois da capital mineira, a mostra ganha itinerância que começa pelo Museu Brasileiro da Escultura, em São Paulo no segundo semestre e, a partir de 2010, visita outras capitais e cumpre duas exibições no exterior.
Em grandes formatos, as pinturas em óleo sobre tela e acrílica sobre lona têm como foco o universo humano, onde a expressão é cercada ao mesmo tempo por grande carga dramática e poética.
Os desenhos, seguindo a mesma linha das pinturas em termos de temática, são complementados com objetos em diversos materiais ou mídias aprisionados em vitrines ou caixas acrílicas.
Fernando Pacheco construiu sua trajetória através de importantes participações nos principais museus de todo o país, como o de Arte Moderna, de Arte Contemporânea e Pinacoteca do Estado de São Paulo; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás e de Pernambuco, bem como Museu Nacional de Belas Artes e Palácio da Cultura também no Rio de Janeiro.
Em Belo Horizonte, ele integrou várias exposições no Museu de Arte da Pampulha e nas principais galerias da cidade.
Ele tem obras no acervo da Fundação Reina Sofia-Espanha, painel no Aeroporto Internacional Tancredo Neves-Confins, bem como no Japão e nos Estados Unidos.
A mais nova individual com sabor de retrospectiva inspira-se em vários dos seus trabalhos anteriores; no entanto, as aparentes contradições deste pintor expressionista ora surrealista e, às vezes, informal, na verdade revelam marcas de um conceituado artista, ou seja; daqueles que não se encaixam em um único grupo. Obra vigorosa, irrepreensível, de um dos mais conceituados artistas.
Fernando Pacheco é cartaz até 5 de abril, na Grande Galeria do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1537, Centro).


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte - Orgão da Unesco.
Home Page: www.morganmotta.com
E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br


30.03.2009