VISUAIS - As mostras da semana na capital mineira


Pintura em destaque



FOTOS: DIVULGAÇÃO

1-Pintura de Marco Reis Anthony, em cartaz na galeria Sesiminas

2- Detalhe de composições tipográficas, primeiro dia de circulação dos selos criados por Heloisa Etelvina, destaque no Resumo HOJE

3 - Outonos, Primaveras, Invernos & Verões segundo Miran




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

O que há em comum entre Miran e Marcos Reis Anthony? Ambos trafegam pela pintura. O primeiro corresponde a um nome já estabelecido e o outro, pelo conjunto da obra tem tudo para ser conhecido. Além disso, os dois são arquitetos e trafegam pelas artes visuais com uma única diferença: Anthony, desde dezembro de 2002, foi o primeiro arquiteto. Surdo a diplomar-se no Estado de Minas Gerais e um dos primeiros do Brasil. Frederico Miranda Diniz, artisticamente Miran, com sua individual intitulada “Outonos, Primaveras, Invernos e Verões”, no espaço cultural Nonna Olimpia, Trattoria e Café, localizado em Lourdes, apresenta 20 propostas de médios e grandes formatos em acrílica sobre tela. Formado em arquitetura desde 1970, pela Universidade Federal de Minas Gerais, sempre se dedicou ao ato da criação, através de desenhos, croquis, esboços, elaboração de escultura e painéis para hall de edificações residenciais e comerciais.
Miran possui em seu currículo inúmeros trabalhos de arquitetura, paisagismo e urbanismo. Enfim, entrou no caminho das artes plásticas em 2000, no atelier da conceituada artista e professora Selma Weissmann. A partir daí participou de mostras coletivas e individuais com obras que pairam nos limites do figurativo e do abstrato.
Segundo Marco Flávio de Magalhães Matos, arquiteto urbanista, “a necessidade em se expressar de maneira mais livre, levou Miran ao ofício das artes plásticas. Na arquitetura, mesmo que ele tenha encontrado um caminho no arranjo de formas e volume (e isso realmente está presente em toda a sua obra), demonstrando que foi aí que ele encontrou a liberdade absoluta que a pungência de sua mente criadora exige”. Com sua fase atual mais livre e mais depurada das fases anteriores, saltam aos olhos verdadeiras plantas baixas justificando sua genética.


Marcos Reis Anthony
Nascido em Timóteo, Minas Gerais, no Vale do Aço, aos sete anos ele teve seu primeiro contato com a pintura à óleo e criou suas primeiras obras. Em 1984, com apenas sete anos, foi a única criança a expor, na ocasião da coletiva “Arte Inervales”, no Palácio das Artes (Fundação Clóvis Salgado de Belo Horizonte). Em 1988, ingressou no curso de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Paralelamente, sob o pseudônimo de Anthony, pintou mediunicamente telas no Centro Espírita José de Arimatéia.
Depois do período de dois anos e a partir de sua graduação em Arquitetura - primeiro surdo a concluir o curso em Minas Gerais e um dos pioneiros no Brasil - passou a criar livremente. Recentemente, integrou coletiva no Palácio Dora Pamphilli (Embaixada Brasileira - Roma), do VIII Circuito Internacional de Arte Brasileira, com intinerância no Museu de Arte de São Paulo (Masp), com apoio cultural da Embaixada Brasileira e do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) e na coletiva de Artes de Surdos na Fundação de Rotarianos, em São Paulo. Com influência egípcias (lei da frontalidade) fazendo pendant com o semi-cubismo ou quase cubismo se prefere, sem dúvida, é um artista da nova geração.


Resumo HOJE
Hoje e amanhã, em função do 1º de Maio, a coletiva Resumo HOJE, promoção do HOJE EM DIA sob nossa curadoria, entra em recesso. Volta ao carta na quarta a sexta, continua em cartaz das 12 às 19 horas e aos sábados das 9 às 12 horas. Hoje, destacamos propostas de Heloisa Etelvina, que integra o módulo Artistas Convidados (Talentos Emergentes), que apropriando-se de ambientes e móveis, nos quais acrescenta suas gravuras nos mais variados suportes: na base da instalação, nos livros, alcançando o conceitual, na maioria das vezes atrelado à instalação.
Os demais módulos são: O Universo do Colecionador - um recorte da coleção de Tadeu Bandeira - que predomina arte contemporânea brasileira -, bem como Mostra do Ano - Tridimensional na Arte Contemporânea, itinerante que já foi vista em São Paulo, Brasilia, Belo Horizonte e no Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga. À propósito, ainda no módulo Talentos Emergentes lá estão Binho Barreto, Elton Lúcio, Carlos Goulart Drummond e Sandra Regina Reis Lima e Silva. A mostra visa dar o destaque merecido àqueles que mais destacaram nas artes visuais, no ano passado (2006).

Individual de Miran fica em cartaz na Nonna Olimpia, às Rua Aimorés, 2305 - Lourdes, até o dia 3l de maio.Visitas aos domingos das 12 às 17 horas, aos sábados e às terças, quartas, quintas e sextas das 12 às 23,30 horas.

Individual de Marcos Anthony fica em cartaz na Galeria de Arte Sesiminas, Rua Padre Marinho, 60 - Santa Efigênia, até o fim de semana.Visitas de terça a domingo, das 9 às 21 horas.Vale a pena dar uma checada nas propostas recentes do Anthony.

Resumo HOJE, no anexo da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa - Anexo Professor Francisco Iglesias (Rua da Bahia, 1889, no andar térreo e no mezzanino até 12 de maio.


Veja mais sobre o Resumo HOJE (Clique aqui)

(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

30.04.2007