Elas por Elas


FOTOS: DIVULGAÇÃO/FABIAN

Perna feminina na visão de Fabian (1), mulher desnuda (2), pintada por Vasconcellos, grafitte sobre tecido preparado (3) de Kátia Batista e desenho a nanquim (4) de Aléxia Degon



Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

A junção de duas individuais, das artistas plásticas Aléxia Degon e Kátia Batista, resulta no vernissage de amanhã, de 20 às 22 horas. As duas propõem uma investigação sensitiva do desenho a partir da linha riscada sobre o tecido e seus diferentes e surpreendentes efeitos.
Memórias acumuladas, resíduos recolhidos do cotidiano, parte de senhos, de seres reais e imaginários, tudo nesta exposição torna-se textura, relevo, ganha volume e se tridimensionaliza, dando ao espectador a oportunidade de pensar e, principalmente refletir.

Aléxia Degon é pós-graduada em pesquisa e ensino no campo das artes plásticas, pela Escola Guignard - Uemg. Por sua vez, Kátia Batista é graduada em Belas Artes pela Ufmg, tendo trabalhado em vários projeto como as exposições coletivas ‘Novos Ilustradores‘, ‘A Experiência do Livro‘ e ‘O Desenho Pode Tudo‘.
Outro destaque, fotografias da italiana Fabian estão desde o final de semana na Galeria Agnus Dei. Sua proposta central - ou mote, se prefere - é a dança, não como espetáculo, mas como maneira de perceber a corporeidade. Afinal, ela capta o movimento leve e natural dos bailarinos fora dos palcos.
Com cinco livros de fotografias publicados e obras em importantes acervos de colecionadores e galerias na Itália, Brasil, França, Portugal, Inglaterra e Estados Unidos, a fotógrafa italiana expõe, pela primeira vez, seu trabalho em Belo Horizonte. São 22 propostas, de diferentes séries, em preto-e-branco e coloridas, o que dá ao visitante a oportunidade de conhecer um pouco do que ela vem fotografando nos últimos anos.
Todas as obras são numeradas e assinadas pela artista, com tiragem de dez cópias no mundo.
Sobre a artista e suas fotografias, o crítico de arte italiano Massimo Mussini escreve: ‘Fotografar a dança fora do palco é a idéia por trás das imagens de Fabian. Esta decisão fez que o tema fosse abordado não não como um espetáculo e sim como uma maneira de perceber a corporeidade. Assim como o movimento na dança é leve e natural como a respiração, Fabian também conseguiu a maneira de revelar o mesmo em suas imagens‘.
Agora, morando no Brasil, Fabian conta que sua vinda para o nosso país ‘foi obra meio por acaso‘. Em 2001, ao passar suas férias aqui, ficou encantada com as belezas naturais. Naquela época, morava em Paris, e as fotos que fez no Brasil tiveram muito boa aceitação pelas revistas francesas Elle e Max. Essas revistas lhe mandaram de volta ao Brasil para fazer novas fotos. Assim, começou a ponte Europa-Brasil.
Atualmente, ela é fotógrafa correspondente para inúmeras conceituadas revistas da Europa e dos Estados Unidos. Seu mais recente livro, ‘Eye‘, e exposição que tem o mesmo título, estão percorrendo várias cidades européias, em importantes companhias de teatro, junto com a apresentação da peça ‘Romeu e Julieta‘, da Companhia Aterballeto, a primeira companhia de dança contemporânea da Itália.
No Teatro da Cidade, em revival está o espetáculo musical ‘Mulheres de Hollanda‘. Na Pequena Galeria que funciona como parte do foyer do teatro da Rua da Bahia, estão as mulheres de Vasconcelllos, pintor mineiro radicado há décadas na Dinamarca.
Da série Brasil-Dinamarca - Pinturas em Ateliê Aberto, saltam aos olhos situações dosadas de forte conteúdo erótico, às vezes fazendo pendant com figuras angelicais de seios à mostra, com um desfilar de modelos da Escandinávia, da Croácia e novos países resultantes da antiga Iugoslávia.
Enfim, para quem tem preferência para ‘fetiches e símbolos e signos eróticos relacionados com a mulher(es), sem dúvida, um prato cheio. No vernissage, sem ser psicólogo ou psiquiatra, descobrimos que uma boa faixa dos presentes do século masculino optou pelos rostos com tarja, ou então, vedados. E por que não? Na ala feminina até surgiu uma modelo em potencial, que admira aquelas pinturas quase portraits, assim, como direi, com seios de fora e tarjas... A propósito, de saída, várias propostas foram adquiridas...



Aléxia Degon e Kátia Batista
- Na Rua da Bahia, 1600, de 9 às 18 horas, exceto sábados e domingos. Até 31 de julho.
Fabian - Fotografias e livros. Na Agnus Dei Galeria de Arte (Rua Santa Catarina, 1155, Lourdes). Visitas de 9 às 18 horas, de segunda a sexta e, aos sábados, de 9 às 12 horas. Até 25 de julho.
Vasconcellos - Mulheres. Na Pequena Galeria do Teatro da Cidade (Rua da Bahia, 1341, Lourdes). De segunda a sexta, de 14 às 21 horas, e aos sábados e domingos, de 16 às 21 horas. Até 6 de julho.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

30.06.2008