Sessão de signos

01. Peça em bronze por Belkiss Diniz
Foto: Júlio Hubner

02. André Burian - Óleo sobre Papel
Foto: Divulgação do artista

03. André Burian - Óleo sobre Tela
Foto: Divulgação do artista

04. Peça em bronze por Belkiss Diniz
Foto: Júlio Hubner

Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS


O que há de mais recente da produção de André Burian está em cartaz desde o fim de semana, na galeria Quadrum. Artista multimídia, revelado em uma das edições do “Resumo HOJE", no final da década de 90, ele trafega pela pintura, desenho e pela fotografia.

Sob o título “Ocupação", as propostas mais recentes estão no módulo I, primeira sala. Na sala dos fundos, próxima do Jardim de Inverno, estão diferentes fases, incluindo aquela, quase surreal, de mulheres seccionadas.
De saída, ele propõe, na grande sala colorida, um mix de signos, símbolos, números e palavras e, de súbito, uma vertigem, quando nos deparamos com uma galáxia superpovoada de letras e cores brilhantes, desenvolvidas em órbitas variadas.

Todos esses elementos acima citados, versus números e mais números ad infinitum, constituem um labirinto up-side down (quase que de cabeça para baixo), em diferentes espaços que interagem de maneira bem equilibrada. O que seria “caos" se transforma em caminhos que possibilitam inúmeras leituras.

Enfim, algumas imagens surgem isoladas, outras compõem verdadeiros protótipos de painéis. No final de sua ocupação, como sempre, o processo de criação do André Burian é tão engenhoso quanto o resultado.
Mas, por que “Ocupação"? Porque o multiartista e pesquisador trafega pelas mais variadas mídias (pinturas sobre telas, desenhos sobre papel e fotografias experimentais), revelando algumas de suas inúmeras obsessões.

Na semana que vem, outra mostra de destaque será cartaz em BH. A galeria Palácio dos Leilões apresenta, a partir do dia 8, a exposição “Sinestesia", composta de 18 esculturas em mármore e bronze de Belkiss Diniz.
De acordo com a expositora, a individual representa uma alquimia de sensações, tudo que quis exprimir em termos de movimento, energia, beleza, leveza, harmonia, enfim, uma síntese de formas.

Carla Leandra Linhares, no folder-catálogo, assim escreve: “Diante dos corpos de Belkiss Diniz, não estamos apenas perante a apresentação de uma experiência da forma, mas observando um espetáculo de exuberância teatral. A simplificação da silhueta não impede que o gestual transcenda a matéria, o ritmo da ginástica olímpica e a fecundidade, a calma e a energia, a serenidade e a inquietação. Nada mais comovente e mais humano que a sinestesia em questão".

André Burian _ Na Galeria Quadrum (Avenida Prudente de Morais, 78, Cidade Jardim). De segunda a sexta, de 12 às 19 horas, e aos sábados, de 10 às 14 horas. Até 18 de novembro. Belkiss Diniz - Vernissage dia 8 de novembro, terça-feira, de 19h30 às 22h30, no Palácio dos Leilões (Rua Gonçalves Dias, 1866, Lourdes). Até 30 de novembro.


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte. Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br)

31.10.2005