A volta do Resumo HOJE


FOTOS: DIVULGAÇÃO/MM


ALGUNS DESTAQUES: “Nu Frontal”, de Joana Vilela Marquez, bonecos de Mário Rufino Tomaz e Mauro Tunes na Grande Galeria do Museu Inimá de Paula




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Hoje, último dia de 2007, eis a lista dos integrantes da 41ª edição do Resumo HOJE, promoção do jornal HOJE EM DIA, sob nossa curadoria, que vai resultar emmostra coletiva no segundo semestre, na futura sede do Museu Fundação Inimá de Paula (antigo Clube Belo Horizonte), cuja inauguração está prevista para maio.
A mostra tem três módulos distintos. “O Universo do Colecionador” , com recorte de uma das coleções mais representativas em termos de arte moderna e contemporânea, pertencente à colecionadora Anita Uxa, “Artistas Convidados” , na maioria talentos emergentes que trafegam pela arte contemporânea: Margarida Campos, Fred Pena, Mário Rufino Tomaz, Marcelo Prates e Joana Vilela Marquez e e o Acontecimento Artístico Cultural do ano - inauguração do Museu Inimá de Paula. A restauração do prédio, que começou em março de 2007, foram investidos R$ 4 milhões, integralmente doados por Mauro Tunes Júnior, sem nenhum outro patrocinador ou mecenas.
Mário Rufino, Bacharel em Artes Plásticas pela Escola Guignard - Uemg, destacou-se no Curso de Grafitti da Arena da Cultura, por sua montagem de espetáculo de teatro de bonecos no Grupo Catibrume pela premiação na Faculdade Estácio de Sá.
Por outro lado,mega-painel criado para mostra temporária que fica até 31 deste mês no Museu PUC-Minas de Ciências Naturais, demonstrou outra faceta do seu talento pelo tema e pela monumentalidade.
Na coletiva do Resumo, ele vai se apresentar com esculturas e fotografias, suas principais opções.
Joana Vilela Marquez, graduada em Publicidade e Propaganda pela UNI-BH, é também graduada em Pintura e Escultura pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais. Recentemente, ela expôs individualmente em Belo Horizonte e na Art Basel de Miami-EUA, sendo que suas figuras modiglianescas conquistaram colecionadores do País e do exterior.
A propósito, apesar de bastante jovem, é representada pela Tella Galeria de Arte em Belo Horizonte e, nos Estados Unidos, pela Artsonian Miami.
Além de suas pinturas, Joana vai apresentar seus prestigiados portraits, uma tendência antiga que, no entanto, ganha grande
contemporaneidade, pela maneira livre e sintetizada como os explora.
Por sua vez, Margarida Campos, a gravadora que se impôs com gravuras em lito, em metal, xilo e até serigrafia, mestranda em Arte Visuais pela Escola de Belas Artes da UFMG, é outra surpresa agradável em nível de gravura. Desde 2005, quando destacou-se no concurso Jovens Gravadores do Mercosul, tornou-se bolsista de Iniciação Científica do Cnpq, desenvolvendo o projeto “Gramma: imagem escrita” , vinculado ao Núcleo de Estudos da Cultura do Impresso da Escola de Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais. No mesmo período, foi selecionada e cursou a Oficina de Tipografia sob orientação do mestre Sebastião Bento, realizada na Fundação Palácio das Artes.
Atualmente, ela desenvolve desdobramentos de suas pesquisas e experimentações no seu ateliê do bairro de Santa Efigênia, com Marcelino Peixoto e Carlos de Brito e Mello. Além disso, através de pequena editora artesanal, publica livros feitos por conseqüência do ofício da gravura e encadernação.


Continuação (Clique aqui)


(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

31.12.2007