Fotografia, objetos e esculturas trazem novos e inspirados
nomes à mostra Resumo HOJE deste ano


Artistas têm a marca do contemporâneo


FOTOS: TONINHO ALMADA/DIVULGAÇÃO-FP/
DIVULGAÇÃO-MC/MARCELO PRATES


1 - “TALENTOS EMERGENTES” Margarida, Fred, Mário Rufino,
Marcelo e Joana Marquez

2 - ESCULTURA feita por Fred Pena, que encontra a
linguagem com objetos aramados

3 - GRAVURA de Margarida Campos, com experiências que
são agradáveis surpresas

4 - FOTOGRAFIAS sobre pranchas de Marcelo Prates,
um colecionador de prêmios




Morgan da Motta (*)
CRÍTICO/ARTES VISUAIS

Voltando ao módulo dos talentos emergentes, “Artistas Convidados” , Marcelo Prates, editor de fotografia do HOJE EM DIA, nas últimas décadas foi inúmeras vezes premiado em função da fotojornalismo no País e no exterior, principalmente na Alemanha e no Japão. No últimos anos, suas fotografias, elevadas ao tridimensional e ao conceitual sobre pranchas, provam, antes de tudo, que ele também cria e é premiado em nível de fotografia ou em termos de arte contemporânea.
Fred Pena, criador de esculturas e objetos, depois de participar de inúmeras coletivas, revelou-se através de individual na Galeria Paulo Campos da Biblioteca Pública do Estade deMinas Gerais.
Realiza sua obra de maneira singular, evindenciando que herdou da mãe Elisa Pena o anseio de prolongar-se, ou seja, perseguir o fazer artístico.
Sem dúvida, encontrou sua própria linguagem com objetos e esculturas aramados.



Guardiã de acervo ganha sala especial


FOTO: PAULO EDUARDO LACERDA


ANITA UXA: guardiã de preciosa síntese da arte européia,
mineira e brasileira, destaque do “Universo do Colecionador” da
mostra que chega à 41ª ediçãoz


Anita Uxa, italiana radicada em Belo Horizonte, grande Destaque no “Universo do Colecionador”deste ano, tem coleção particular que ocupa praticamente dois apartamentos no Edificio Niemeyer, na Praça da Liberdade, onde reside desde a década de 50.
Quando chegou aqui, ela já trazia propostas de Pablo Picasso e Salvador Dalí e alguns italianos com gravuras,
pinturas e atémóveis na linha art-de-cô. Em 1953, fundou a Socidade Amigas da Cultura, juntamente com a escritora Lúcia Machado de Almeida, a compatriota Maria Scheiber, professora da UFMG, e a pianista austríca Lily Kraft.
Voltando ao seu rico acervo, que ganhará sala especial no contexto do Resumo, além de obras de Leonello Berti, Maria Polo, Calabrone, Roberto Moriconi, Pomodoro e Pietrina Checcacci, vai mostrar pinturas, desenhos, esculturas e objetos de nossos - mineiros e brasileiros - artistas modernos e contemporâneos, tais como os tapeceiros Nicola-Doucher, Genaro, esculturas de Calabrone, Ascanio Maria Maria, Ricardo Carvão Levy e de Valdelice Neves, e objetos da série João Congo.
Seu módulo vai começar com retrato em pastel da artista russa Assia Busiri Vici, e termina com retrato do contemporâneo Luiz Herique Vieira, que tem ao fundo o Edifício Niemeyer.
Ainda com relação aos artistas italianos, teremos Consagra e Giuseppe Bartolini. Dos vanguardistas, Roberto Magalhões, Antônio Dias e nomes da novíssima geração, como Marta Neves e Fernando Cardoso, tambem estão entre um conjunto de quase 200 obras, onde há de tudo um pouco em termos de técnicas e suportes.
Sem dúvida, vai resultar na síntese da arte européia, mineira e brasileira. Aguardem aquele conjunto que depois da coleção de Regina-Delcyr Antonio da Costa, Tadeu Bandeira, que integrou o Universo do Colecionador na última edição do Resumo, e do professor Paulo da Terra Caldeira, está entre as principais coleções particulares de arte moderna e contemporânea em Minas Gerais com um “plus” ou seja, os artistas estrangeiros. (M.M.)



(*) Morgan da Motta é jornalista e crítico de arte, membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte e da Associação Internacional de Críticos de Arte (ABCA-AICA).Home Page: www.morganmotta.com. E-mail: mmotta@hojeemdia.com.br

31.12.2007